“Quase 50% estão insatisfeitos no trabalho, diz pesquisa.” 3 pontos para você avaliar sua satisfação no trabalho.


Por: Ane Caroline Janiro

Na última semana foi divulgada uma pesquisa pela revista Exame, realizada por uma consultoria especializada, sobre a satisfação das pessoas em relação ao trabalho (a pesquisa foi realizada com mais de 400 executivos). Confesso que o resultado me chamou atenção pelo índice de pessoas que admitem estar insatisfeitas com seu cargo ou emprego atual (Quase 50% dos pesquisados). Chamou-me atenção também que o mesmo número de pesquisados considera que no emprego ou cargo atual não estão se desenvolvendo e crescendo.

Mas o que será que podemos relacionar com esta insatisfação no trabalho relatada atualmente? É claro que os tempos são outros, o mercado de trabalho vem sofrendo alterações constantes e, muitas vezes, algumas empresas não se veem preparadas para acompanhar estas transformações que são muitas. Entre elas: maior flexibilidade no horário de trabalho, a possibilidade do “home office” (o que não se aplica em todos os segmentos), instalação de novas tecnologias, entre outras. Mas será que o nível de satisfação no trabalho depende exclusivamente da empresa?

É claro que em grande parte depende sim, mas não com exclusividade. Acredito que seja interessante, ao estabelecermos metas profissionais e ao assumirmos um cargo, nos questionarmos sobre alguns pontos:

1 – O que eu espero deste cargo e desta empresa?

É imprescindível que os seus objetivos estejam bem alinhados com as possibilidades que aquela empresa te oferece. E isso pode estar associado a muitos fatores, como a cultura empresarial, o plano de carreira que lhe foi traçado desde o início (e você precisa conhecê-lo bem), quais as reais chances que você terá de concretizar seus planos na empresa. Trace metas que sejam possíveis de serem alcançadas naquele emprego, ou seja, metas concretas. Traçar metas impossíveis ou extremamente distantes de serem concretizadas pode fazer com que você se frustre. Isso não significa que você não tenha que sonhar alto, mas planeje tudo dentro das possibilidades reais da empresa.

2 – O que a empresa espera de mim?

Diretamente ligado com o primeiro item, saber o que a empresa espera de você é essencial. E isto deve ser alinhado desde o início (no plano de carreira traçado, na observação da descrição do cargo, nas necessidades da empresa). É claro que, assim como as pessoas, as empresas sofrem modificações e podem surgir novas necessidades ou novas expectativas depositadas em você no decorrer de seu trabalho. Daí a necessidade de conhecer bem sua empresa e seu trabalho.

3 – O que significa satisfação/felicidade no trabalho para mim?

Acho muito importante que as pessoas tenham claramente definido o conceito de felicidade. É claro que este conceito se torna relativo para cada um, mas é importante tê-lo definido para si mesmo, para que a “busca pela felicidade” não seja algo vazio e inalcançável. Acredito que no caso do trabalho, este conceito está associado ao bem-estar e à conquista de suas metas traçadas (voltamos ao primeiro item). Se em determinado momento de sua carreira você puder escolher bem o cargo e a empresa onde vai trabalhar, leve em consideração na hora da escolha o que lhe trará satisfação e felicidade em um trabalho:

  • Remuneração/Bônus/Benefícios
  • Qualidade de vida/tempo para a vida pessoal/horário de trabalho
  • Reconhecimento/Promoções/Crescimento e desenvolvimento
  • Investimento em qualificação profissional
  • Trabalhar em sua área de formação/com o que se gosta de fazer
  • Bom ambiente de trabalho
  • Desafios/Metas bem estabelecidas

Caso haja outros fatores que você considera importantes para sua satisfação no trabalho, avalie também se será possível encontrá-los em sua empresa ou cargo para que se tenha em mente onde exatamente você deseja chegar.

Abaixo, segue a pesquisa citada no início:

OK profissionais-insatisfeitos

 Link da pesquisa: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/quase-50-estao-insatisfeitos-com-o-trabalho-veja-os-dados

OBS.: Todo o conteúdo desta e de outras publicações deste site tem função informativa e não terapêutica.

***

Gostou deste conteúdo?

Compartilhe utilizando um dos botões abaixo!
Cadastre-se também na opção à sua direita “Seguir Psicologia Acessível” e receba os posts em seu e-mail!


10516729_1448233238791949_8127215912485502492_n


Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, idealizadora e editora deste blog.
CRP: 06/119556

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s