Poema sobre amor de um homem com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)


Este vídeo já é famoso e retrata de forma muito tocante o amor do ponto de vista de um homem com Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). O poema descreve a relação entre o Transtorno e os sentimentos do autor por uma mulher. O resultado impressiona!

Vale a pena assistir:

Sobre o TOC:

O TOC é um transtorno mental caracterizado por padrões de comportamentos e pensamentos repetitivos que representam significativo sofrimento para o indivíduo. Os “pensamentos ou impulsos não desejados que retornam repetidamente à mente da pessoa” são as chamadas obsessões e os comportamentos repetitivos, aos quais “a maioria das pessoas com TOC recorre”, são as compulsões.

Falaremos mais sobre o TOC em outros textos por aqui.

Enquanto isso, você pode saber mais em:

ASTOC – Associação Brasileira de Síndrome de Tourette, Tiques e Transtorno Obsessivo Compulsivo.

Gostou deste conteúdo?

Compartilhe utilizando um dos botões abaixo!
Cadastre-se também na opção à sua direita “Seguir Psicologia Acessível” e receba os posts em seu e-mail!


10516729_1448233238791949_8127215912485502492_n


Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, idealizadora e editora deste blog.
CRP: 06/119556

23 opiniões sobre “Poema sobre amor de um homem com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)”

    1. Com certeza pode ser perigoso para ambos os lados, Jonathan. Por isso a necessidade de acompanhamento profissional.
      Um dos aspectos principais do TOC é justamente a Obsessão, que são estes “pensamentos ou impulsos não desejados que retornam repetidamente à mente da pessoa”, como citado no post. Foi um ponto interessante notar que ele abriu mão de certos comportamentos compulsivos (repetitivos) pelo fato de ter perdido a mulher em questão. Mas acho que o mais interessante aspecto do vídeo é podermos justamente observar o funcionamento que uma pessoa com TOC pode ter em relação a sentimentos, pensamentos, ações e entendermos o porquê de ela agir assim, sabendo direcionarmos o tratamento/acompanhamento.
      Abraços!

      Curtir

  1. O amor, o amor… Esse vídeo retrata a verdade do amor, que só vive quando se realize. Não há fórmulas para amar, nem intensidade. Mas sem dúvida há a pessoa certa. Aquela que só de você pensar nela seus olhos se lacrimejam em agradecimentos por ela existir. Aquela pessoa que te leva às alturas, que quando te olha você enxerga o universo. Aquela que quando te beija te faz flutuar.É realmente não há fórmulas para se amar, mas com certeza há a sua metade, o seu completar-se, a pessoa certa.

    Curtir

    1. Olá Cristina, obrigada por comentar!!
      O ideal é sempre buscar orientação profissional especializada pois, apesar de o TOC apresentar algumas características comuns, cada pessoa apresenta quadros muito específicos, que são relativos à personalidade, ao ambiente em que está inserido, ao grau do transtorno em si, entre outros. Por isso, procurar conversar com um psicólogo poderá auxiliar muito a família a lidar com a situação. Grande abraço!!

      Curtir

  2. É a segunda vez que me deparo com esse vídeo. Há um ano atrás, quando o vi, eu o assisti uma dezena de vezes (pergunto-me se não tenho toc, pela repetição exagerada de querer ver o vídeo mais vezes… hehehe) e não me cansava nunca. Agora, da mesma forma, vejo e revejo, e sinto uma emoção contínua, contagiada pela intensidade do amor que brota do poema-desabafo, do poema-amor… tão vívido e sincero! Amei as palavras, a interpretação, a emoção expressa. Um grande amor, não se esquece… nem se deixa!

    Curtir

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s