6 (Bons) Motivos para dar um bichinho de estimação ao seu filho


Por: Psicóloga Ane Caroline Janiro

Algumas famílias ainda pensam duas vezes em ceder quando as crianças pedem para ter um bichinho de estimação em casa. É fato que, como hoje os animais domésticos são considerados cada vez mais como membros da família, a decisão de tê-los pode envolver muitos aspectos que precisam ser avaliados, como: espaço suficiente em casa, gastos com veterinário, vacinas, alimentação, banho e tosa, disponibilidade de tempo para passear com o bichinho, entre outros.

Quando esta decisão envolve crianças, em primeiro momento os pais parecem ter uma preocupação ainda maior, mas algumas pesquisam sugerem que o convívio entre crianças pequenas e animais é extremamente benéfico para a saúde, podendo até mesmo prevenir futuras alergias e doenças respiratórias.

Além disso, há outros motivos para convencer as famílias definitivamente que adotar um animalzinho pode ser uma ótima ideia. Veja o que eles podem proporcionar às crianças:

1 – Estimulam o senso de responsabilidade

Se o desejo de ter um bichinho em casa partir das crianças, uma boa dica é fazer com elas um acordo em relação aos cuidados dele, como trocar a água, dar comida, ajudar a limpar as necessidades, ajudar na hora do banho, levar para passear, etc. Tudo isso leva a criança a exercitar a sua autonomia e perceber que o outro (no caso, o animal) depende dos cuidados dela.

2 – Fortalecem vínculos afetivos

Quando a criança ajuda a cuidar do bichinho de estimação, cria com ele um vínculo afetivo, tão importante e que será transferido também para outros tipos de relação. Aprende a respeitá-lo, a ter carinho, zelo, a lidar com a frustração (quando o animalzinho fica doente) e até mesmo com a separação e a morte.

3 – Estimulam o condicionamento físico

Animais como cães precisam de passeios diários e ainda são ótimos parceiros de brincadeiras que envolvem corrida e pulos. Isso incentiva a criança a se exercitar (encontrando inclusive outras formas de diversão além dos computadores, videogames e celulares).

4 – Aumentam a autoestima

Quando a criança percebe que é capaz de cuidar de outro ser, de se responsabilizar por certos cuidados, se sente mais confiante e com a autoestima mais elevada para assumir outras tarefas e outros papéis em sua vida. Além disso, essa autoestima também é estimulada quando a criança percebe que o bichinho também gosta da companhia dela.

5 – Ajudam a incorporar valores e limites

Os bichinhos, especialmente os cães, precisam aprender alguns comandos para facilitar o convívio na família. Precisam aprender, por exemplo, a fazer suas necessidades no local correto, a não destruir objetos da casa, a obedecer ordens como: “não”, “senta”, entre outros. Com isso, a criança começa a perceber a importância de respeitar certos limites e incorporar algumas regras.

6 – Estimulam a paciência e a tolerância

Para ensinar alguns comandos aos bichinhos, é preciso muito treino e paciência, e é importante que a criança participe deste processo. Assim, ela começará a entender o quanto é importante saber tolerar o tempo do outro. Além disso, nem sempre o animal corresponderá à animação da criança para brincar ou fazer exatamente a atividade que ela deseja e isso ajudará a entender que é preciso respeitar o limite dos outros.

É preciso lembrar, entretanto, que nem tudo são flores mesmo. Se a família não gosta ou não se sente preparada para assumir toda a responsabilidade que ter um bichinho de estimação envolve, então não é uma boa ideia tê-lo. As crianças precisam compreender que os animais não são como brinquedos, que podem ser descartados quando não são mais “úteis”, mas tem sentimentos e precisam de carinho e cuidado sempre. E para isso os adultos precisam concordar com este pensamento, senão este convívio não será benéfico.

E caso as crianças já apresentem alergias ou outros problemas de saúde, o ideal é consultar o pediatra antes de decidir por adotar ou não um animalzinho.


OBS.: Todo o conteúdo desta e de outras publicações deste site tem função informativa e não terapêutica.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe utilizando um dos botões abaixo!
Cadastre-se também na opção à sua direita “Seguir Psicologia Acessível” e receba os posts em seu e-mail!


10516729_1448233238791949_8127215912485502492_n


Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, idealizadora e editora deste blog.
CRP: 06/119556

 

.



publi-caderno-minha-rotina

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s