[VÍDEO] A rotulagem de crianças e os transtornos mentais


Por: Psicóloga Ane Caroline Janiro

O vídeo abaixo busca provocar a reflexão acerca dos rótulos criados por diagnósticos de determinados transtornos mentais em crianças e adolescentes. Rótulos estes que os mantém presos apenas ao título do distúrbio, impedindo-os de se enxergarem além daquilo que lhes foi diagnosticado, limitando as suas capacidades e colocando em segundo plano os aspectos de sua personalidade.

1 video rotulos

É claro que muitos diagnósticos são reais, mas mesmo estes, devem levar em consideração a individualidade e tanto os profissionais da saúde mental quanto familiares e educadores precisam trabalhar em conjunto para que a criança ou adolescente não sejam vistos apenas pelo rótulo do diagnóstico que carregam. Eles precisam ser vistos além disso, antes de tudo como uma criança, como um indivíduo, com potenciais e capacidades que devem ser estimuladas.

3 video rotulos

Esta rotulagem não deve acompanhar a criança por toda a sua vida, limitando-a e impedindo-a de enxergar além de determinados comportamentos ou medicamentos.

4 video rotulos

“20 milhões de crianças e adolescentes estão sendo rotulados com “transtornos mentais” , com base unicamente em uma lista de comportamentos . Sem outros exames precisos, raios-X , testes genéticos ou de sangue que podem mostrar que eles são “doentes mentais”. No entanto, essas crianças são estigmatizadas por toda a vida com transtornos psiquiátricos e por medicamentos prescritos.” (http://www.cchrint.org/)

Assista abaixo ao vídeo:

Leia também:

“Remédio para Dormir” – Uma reflexão acerca do excesso de medicamentos no cotidiano
remédios shutterstock


Gostou deste conteúdo? Compartilhe utilizando um dos botões abaixo!
Cadastre-se também na opção à sua direita “Seguir Psicologia Acessível” e receba os posts em seu e-mail!

facebook_like_logo_1  Instagram-logo-full-official  twitter1 pinterest_logo


10516729_1448233238791949_8127215912485502492_n

Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, idealizadora e editora do Psicologia Acessível.
CRP: 06/119556

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s