Procurando um(a) Psicólogo(a) Sugestões dos Leitores

Atendimento Psicológico Domiciliar – Saiba como funciona

O Atendimento Psicológico Domiciliar (ou Home Care) é uma modalidade de atendimento ainda não muito conhecida entre psicólogos e o público em geral. Este atendimento é destinado a casos onde há dificuldades decorrentes de patologias ou demais impedimentos de locomoção que impeçam a ida do paciente ao consultório ou ao hospital.

Por: Psicóloga Ane Caroline Janiro

O Atendimento Psicológico Domiciliar (ou Home Care) é uma modalidade de atendimento ainda não muito conhecida entre psicólogos e o público em geral. Este atendimento é destinado a casos onde há dificuldades decorrentes de patologias ou demais impedimentos de locomoção que impeçam a ida do paciente ao consultório ou ao hospital. Ou seja, não é um serviço que deve levar em consideração apenas aspectos como redução de custos em comparação com o atendimento convencional ou “praticidade”.

O próprio paciente (ou seus familiares/cuidadores), o médico ou a equipe de saúde acompanha o tratamento podem solicitar ao psicólogo esta modalidade de atendimento, que será avaliada acerca de sua necessidade e/ou alternativas.

Questões éticas:

Dentre os profissionais da área da saúde que realizam o atendimento domiciliar, o trabalho do psicólogo nesta modalidade especificamente ainda gera muitas dúvidas envolvendo questões éticas do atendimento. Uma delas é o fato de que o psicólogo estará inserido na casa do paciente e em contato com muitas informações que poderiam não ser levadas para o consultório ou hospital espontaneamente pela pessoa atendida. Inclusive, é possível que haja a interferência de outros membros da família, por estarem no mesmo ambiente que o paciente e mesmo uma dificuldade dos demais moradores da casa em compreenderem como deve ser a relação com o psicólogo.

Portanto, é dever do psicólogo atuar de forma a evitar que tais situações prejudiquem o processo psicoterapêutico. Cabe a ele estabelecer os limites de sua atuação e estabelecer regras que considerem a ética em sua profissão.

É importante lembrar ainda que em determinados casos será necessário que haja atendimento psicológico a familiares/cuidadores do paciente, porém, este atendimento deve envolver questões ligadas ao paciente e o seu tratamento e não demais demandas que não tenham esta relação. Cabe também ao psicólogo esclarecer esse limite.

“A ética em seu entendimento mais amplo é respeitada na medida em que o atendimento domiciliar é avaliado como a única forma de que se dispõe em dado contexto para atenuar o sofrimento da pessoa ou da família.”

Fonte: CRP-SP (disponível neste link)


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção à sua direita “Seguir Psicologia Acessível” e receba os posts em seu e-mail!

12009753_1145254608837345_2914420128489159683_n


Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, idealizadora e editora do Psicologia Acessível.
CRP: 06/119556

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

5 comentários

  1. Ola, Gostaria de tirar uma duvida. Se a pessoa estava sendo acompanhada por uma psicóloga e não pode ir a clinica por conta do horário de trabalho. Pode pedir um atendimento domiciliar?

    Curtir

Deixe uma resposta para Olga Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s