Daiana Garbin cria canal de vídeos sobre transtornos alimentares e de imagem


Por: Ane Caroline Janiro

A jornalista Daiana Garbin, esposa do apresentador e também jornalista Tiago Leifert, criou há alguns dias um canal de vídeos no YouTube para falar de um tema que revelou fazer parte de sua vida: os transtornos alimentares e de imagem. É um canal que vale a pena acompanhar, pois muitas pessoas sofrem com isso não sabem como lidar, sequer sabem que precisam de ajuda. Saber destas informações e de como é o sofrimento de uma pessoa com estes transtornos pode nos ajudar a compreender melhor o outro e auxilia-lo na busca por um tratamento psicológico e médico.

No primeiro vídeo da série, Daiana conta que desde os seus 5 anos de idade sofre de um transtorno caracterizado, dentre outros aspectos, por não conseguir enxergar seu corpo da forma como ele realmente é. Ela afirma inclusive que odeia seu corpo. Esse transtorno é conhecido como Síndrome da Distorção de Imagem ou Dismorfia.

O canal foi batizado de ‘Eu Vejo’ e nele a jornalista pretende conversar com diferentes especialistas no tema – não só da Dismorfia, mas dos transtornos de imagem e alimentares em geral.

Em um trecho do primeiro vídeo, Daiana questiona: “Quando você se olha no espelho, você gosta daquela imagem refletida que você enxerga? Você se ama? Você ama o seu corpo? Você olha no espelho e fala: ‘Meu Deus, como sou linda’? E você sai de casa feliz porque é segura, porque você tem autoestima, porque você se acha poderosa? Você sente isso? Se você sente isso, você é muito abençoada, porque muitas mulheres, como alguma de vocês que estão me assistindo, certamente não pensam isso, não conseguem sentir isso.”

Em outro momento do mesmo vídeo, ela afirma: “Sei que muitos de vocês devem estar pensando: ‘Ai, patricinha! Fútil! Como é que ela pode dizer que não gosta do corpo, que ela é infeliz?’ Eu sei que é difícil de acreditar. Por muito tempo eu duvidei disso. Eu pensei que eu era fútil, eu pensei que eu era uma patricinha mimada, que não tinha outra coisa pra se preocupar, eu pensei que isso era coisa de adolescente, eu pensei que isso ia passar. Eu pensei que eu ia passar pela adolescência e isso ia ficar lá atrás e eu ia contar pra vocês dando risada. Só que isso não aconteceu, eu já tenho 34 anos.”

Assista abaixo ao primeiro vídeo da série ‘Eu Vejo’:

⇒ A Psicologia no tratamento da Dismorfia ou Síndrome da Distorção da Imagem:

Para o diagnóstico e tratamento não só da Dismorfia, mas de outros transtornos alimentares e de imagem, é necessário o trabalho conjunto de uma equipe que normalmente conta com psicólogos, médicos, nutricionistas e outros especialistas.

Podem ocorrer também outros transtornos associados, por exemplo: uma pessoa que apresenta Dismorfia, pode apresentar também Anorexia Nervosa ou Bulimia, pois se enxerga e se sente mais gorda do que realmente é; ou pode apresentar Vigorexia ou Transtorno Dismórfico Muscular, passando demasiadas horas praticando musculação, já que enxergam seu corpo menos musculoso e definido do que é na realidade. Pode haver incidência também de Transtornos de Ansiedade, Depressão, Fobia Social.

Por isso é importante busca a orientação psicológica. O psicólogo, juntamente com a equipe de saúde, irá avaliar a ocorrência de um ou mais transtornos e os melhores instrumentos para o tratamento e restabelecimento do paciente. Na psicoterapia, uma das técnicas que vem sido muito utilizadas para estes quadros é a Cognitivo-Comportamental, porém outras abordagens são igualmente eficazes. Pode haver a necessidade de intervenção medicamentosa em alguns casos, o que deve ser avaliado pela equipe médica.

Neste link você pode assistir aos outros vídeos do canal ‘Eu Vejo’ de Daiana Garbin.

Fonte: HuffPost Brasil


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção à sua direita “Seguir Psicologia Acessível” e receba os posts em seu e-mail!


12009753_1145254608837345_2914420128489159683_n


Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, idealizadora e editora do Psicologia Acessível.
CRP: 06/119556

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s