A quem estamos querendo enganar?


Por: Maria Fernanda Medina Guido

Recentemente viajei ao litoral. Num dos dias estava chovendo tanto, mas tanto, que não dava vontade de sair da cama. Para meu espanto, vi numa rede social uma pessoa que estava no mesmo lugar que eu e havia postado uma foto dela numa praia ensolarada dizendo que já havia corrido por 1 hora na areia fofa e aproveitaria o resto do lindo dia com sua família. Confesso que voltei a janela para ver se o tempo não havia mudado, e não, continuava chovendo. O que me leva a crer que provavelmente esta pessoa não havia corrido 1 hora na areia fofa, até porque com o tanto que chovia a areia estaria encharcada, e penso que é bem possível que ela tenha postado essa foto sentada no sofá da onde estava quem sabe ainda, de pijama. A questão é, a quem ela estava querendo enganar? A quem estamos querendo enganar nas redes sociais?

Segundo exemplo: uma outra pessoa postou na mesma rede social um relato comovente, contando sua luta contra o excesso de peso e colocou fotos de “antes e depois”. O relato era bem interessante, parecia sincero. O problema foi a foto do “depois”, que sofreu alguns “retoques” e por descuido, tiraram um pedaço do quadril da moça. Pergunto novamente: a quem ela estava querendo enganar? A quem estamos querendo enganar nas redes sociais?

Estamos tentando nos adaptar a essa nova realidade, a virtual. Por muito tempo precisávamos apenas ser. Depois ser e ter. Agora vivemos a era do ser, ter e aparecer, e aparecer dá muito trabalho. Mas penso que o que precisamos refletir é o quanto estamos camuflando uma realidade com um cenário que nem real é. Se você está num projeto de vida saudável e gosta de se exercitar, ok, isso é ótimo, mas ninguém irá te achar preguiçosa se você não sair para correr debaixo da tempestade, ou se você resolver tirar o dia para descansar, ou até mesmo quiser postar a famosa foto dos pezinhos no sofá. Até porque ninguém tem nada a ver com sua rotina de exercícios. A não ser que você seja uma atleta olímpica patrocinada, a única pessoa a quem você deve satisfações é a você mesma, não seja tão cruel. Um dia de chuva pode ser excelente para recarregar as baterias, o ócio faz muito bem. Se você emagreceu 10 quilos, não edite sua foto para parecer que perdeu 20. Se quiser continuar a emagrecer, ótimo, persista em seu objetivo, mas não se torture. Você merece atenção tendo perdido quilos ou não, por quem você é. Comemore o que já conquistou, é uma grande vitória.

Sempre comento com meus pacientes quando conversamos sobre redes sociais: quando for postar algo, seja sincero consigo mesmo e pense se aquilo realmente faz sentido para você, se aquele momento realmente te fez ou está fazendo feliz, se você quer simplesmente compartilhar a alegria que está sentindo, sem alvos, endereços definidos, objetivos maiores. Porque se sua postagem tiver como objetivo enganar ao outro mostrando sua felicidade, sinto em te informar, o enganado é você.

E vamos combinar? Não adiantar por filtro azulado ou preto e branco nas suas fotos porque todo mundo sabe que choveu no último feriado…rsrs. Não perca tempo com isso, largue seu celular e vá ser feliz!

Imagem: Pinterest

Colunista:

Maria Fernanda Medina Guido
Psicóloga – CRP 06/96825

Psicóloga formada pela Universidade Metodista de Piracicaba em 2006, especializada em Gestão de Pessoas pelo IBMEC, com mais de 10 anos de experiência em Recursos Humanos, atendendo individualmente adultos na abordagem Gestalt Terapia nas mais diversas queixas, desde 2012 em clínica particular e convênios.
Contatos:
http://www.mfernandapsicologa.com.br
(11) 97452-5200
e-mail: contato@mfernandapsicologa.com.br
Facebook.com/psicologamfernanda

 

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

4 opiniões sobre “A quem estamos querendo enganar?”

  1. Como singela contribuição referencio que entre o SER…TER…APARECER existe ainda o DEVER SER.
    Em uma perspectiva jurídica a história do Direito nos conta que a trajetória da pessoa inserida na sociedade como cidadão que virá a ser um sujeito de direitos, deveres e obrigações começa com o “simplesmente SER.” É o bebê quando nasce. Conforme vai crescendo ele assume, então, direitos, deveres e obrigações onde deve assumir condutas compatíveis com o “DEVER SER.” Esta fase se perpetua na medida em que passa a obedecer regras em diversos contextos, como por exemplo, no âmbito da família, da sociedade, das relações de trabalho, inclusive comerciais. Estas regras estão alicerçadas na moral, na ética e no Direito. E assim acontece para que a harmonia das relações persiga um estado de equilíbrio e segurança, inclusive jurídica, com o objetivo de alcançar a paz social. Surgem as sanções para o não cumprimento das regras que poderá ter dimensões diversas como o arrependimento; sanções administrativas e judiciais, respectivamente. Parece-me, e posso estar equivocada, o TER e o APARECER decorrem da ausência do cumprimento das regras de ordem moral e ética que, se não estiverem fundadas em bases sólidas, desnorteia o cidadão e suas ações. Nestas circunstâncias o TER e o APARECER surgem para preencher certas lacunas com as quais a pessoa não consegue manejar os atos e fatos do seu cotidiano. Estas são as considerações que trago, quem sabe, para uma nova reflexão. Agradeço a oportunidade. Regina Tramontini, advogada inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº. 21.491.

    Curtir

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s