Reflexões sobre o amor


Por: Cristiane Dias Salvadori

Conforme diz o psicanalista Joel Birman, a sociedade contemporânea tem sofrido de “fome de amor”. Diz respeito a uma dependência emocional generalizada, com uma preocupação excessiva em receber a aprovação e o reconhecimento do outro. Será que estou agradando? Será que sou amado? Quantas curtidas vou receber no Facebook? Essa necessidade do reconhecimento do outro causa um mal estar nos laços sociais, pois o não recebimento desse reconhecimento gera os sentimentos de insegurança, desconfiança e agressividade. A dependência em relação ao amor que vem do externo, que vem do outro, como referência do seu valor aponta para uma imaturidade na capacidade de amar.

Sigmund Freud, o pai da Psicanálise, já afirmara que precisamos amar para não adoecer. Mas que amor é esse ao qual ele se refere? Trata-se do amor por si mesmo, pela vida, pelo mundo, pelas pessoas. É ter a capacidade de se encantar com as coisas mais simples da vida.

Amar a si mesmo implica em conhecer-se, tolerando as suas imperfeições e incompletudes que fazem parte da nossa constituição enquanto seres humanos. Implica também em reconhecer que não temos o poder de dominar e nem de controlar os outros e o mundo.

O amor é um instrumento de descoberta de si mesmo que permite o despertar da curiosidade, pois percebemos que não sabemos tudo. Esta capacidade amorosa diz respeito a uma quietude interior de satisfação consigo próprio que transborda para uma atitude otimista e desarmada perante as relações vividas.

Mas o que vem a ser essa maturidade amorosa? Trata-se de se responsabilizar-se por si mesmo, apropriando-se da sua vida, tendo como guia os seus valores internos. É um processo de aceitação das suas limitações e potencialidades, permitindo, assim, uma aproximação entre quem de fato somos e quem gostaríamos e fingimos ser.

Reconhecer e aceitar quem somos na nossa essência, desperta a tranqüilidade interna. Esta é a base do amor a si mesmo, que permite o encantamento e o amor à vida.

Imagem: Pinterest

Colunista

Cristiane Dias Salvadori
CRP 07/10857

Psicóloga Clínica e Educacional
Especialista em Neuropsicopedagogia e Educação Especial Inclusiva
Contato:
(51)99914-3842
Email: cris.salvadori@yahoo.com.br

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

2 opiniões sobre “Reflexões sobre o amor”

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s