Os impactos do Acúmulo Compulsivo


Por: Laura Lima

Acumulação compulsiva ou disposofobia é a aquisição ou recolha ilimitada de objetos, mesmo que estes não tenham nenhuma utilidade aparente. Este tipo de transtorno desenvolve-se de forma lenta e progressiva, visando cuidados desde os primeiros sinais de acumulação.

O impacto se dá em várias áreas da vida do sujeito, bem como o seu entorno (familiares, vizinhança e amigos) resultando desta maneira na necessidade de um cuidado especializado. Vemos danos e dificuldades consideráveis no dia a dia do acumulador: mobilidade no local, dormir, limpar e diminuição na qualidade de vida.

As pontuações feitas por pessoas de seu convívio passam de maneira quase imperceptível ao paciente, negando-se a visualizar a situação da maneira como lhe transmitem. Em conjunto com o sentimento de vergonha, evitam receber visitas e optam pelo isolamento, ocasionando prejuízo na sua vida social.

A abordagem para o acúmulo compulsivo deve ser de maneira singular, considerando as particularidades e diferentes causas para cada pessoa.

Como ajudar?

O primeiro passo é buscar ajuda profissional (psicológica) para que ele, juntamente com o apoio familiar possa trabalhar com o paciente.

O apoio das pessoas de convívio deve ser no sentido de conscientizar o indivíduo sobre os prejuízos vivenciados em um ambiente de acúmulos exagerados, mas também a consciência do benefício da doação do que for útil, além da melhora na qualidade de vida.

Sabemos que os impactos da acumulação compulsiva são grandes e diversos, se você conhece alguém nesta situação, por que não impactar positivamente sua vida e a dele ajudando-o a dar o primeiro passo?

Imagem: Pinterest

Laura Lima
CRP 06/114761

Psicóloga formada pela Universidade Paulista
Atende em Valparaíso/SP no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I); no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e no Centro de Especialidades de Média Complexidade Municipal (CEMM).
Contatos:
Email:  la_glima@hotmail.com
Facebook.com/LMConsultoriaSocial

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s