Dormindo com o inimigo? 12 indícios para avaliar o seu relacionamento


Por: Maria Fernanda Medina Guido

Entre janeiro a outubro de 2015 foram registradas 63.090 denúncias de violência contra a mulher, o que corresponde a um relato a cada 7 minutos. Dentre estas denúncias, 19.182 (30,40% do total) são classificadas como denúncia de violência psicológica. Um número assustador, mas que infelizmente é muito maior, pois muitas vezes a mulher leva muito tempo para entender que está vivendo um relacionamento abusivo ou percebe, mas nada consegue fazer. Pensando nisso, entendendo o quanto pode ser tênue a linha entre um relacionamento saudável e o tóxico, segue sinais que podem indicar se o seu relacionamento é abusivo:

Importante! Estes indícios servem para homens e mulheres em qualquer que seja o tipo de relacionamento, afinal de contas não são só homens que cometem abusos e só mulheres que sofrem os mesmos:

1 – Você foi obrigada a se afastar de amigos ou familiares: vocês podem até acordar que agora que iniciaram um relacionamento não seria legal você conversar com seu ex namorado 3x ao dia, mas isso desde que o que foi combinado esteja confortável, valha para ambos e seja em casos pontuais. Se você tiver que abandonar grande parte das pessoas que fazem parte da sua vida desde sempre para viver esse amor, sinal de alerta!

2 – Você teve que excluir pessoas de suas redes sociais: mesmo princípio do 1. exemplo. As redes sociais são suas. Havendo o devido respeito (mútuo obviamente) quem deve escolher quem faz parte delas ou não deverá ser sempre você.

3 – Você já foi monitorada a distância, tendo que dar muitas explicações e detalhes sobre onde estava e com quem: faz parte da maioria dos relacionamentos dar satisfações sobre o que está sendo feito na ausência do outro. Uma coisa é você contar com quem foi a tal lugar e comentar um ou outro assunto que esteve em pauta. A outra é você ter que fazer um relatório completo e minucioso sobre tudo e todos de hora em hora e muitas vezes enquanto você ainda está no local.

4 – Você já foi proibida de fazer alguma coisa: um programa com amigas, uma viagem ou tirar a habilitação de motorista por exemplo: tudo deve ser conversado. Muitas pessoas podem não se sentir confortáveis vendo o outro organizar uma viagem onde não está sendo incluído, por exemplo. Mas a não ser que haja algum acordo prévio sobre isso e que ambos respeitam e concordam, a palavra “proibir” não deve fazer parte de nenhum relacionamento. Agora, se você é impedida de fazer qualquer coisa sozinha ou que possa representar um passo rumo a sua independência vale a pena redobrar a atenção.

5 – Você já foi julgada por seu namorado/marido/rolo/etc pelas roupas ou maquiagem que estava usando sendo obrigada a tirá-las para que vocês pudessem finalmente sair: Ok, vivemos numa sociedade onde infelizmente somos julgados pela aparência. Porém, isso não dá o direito a ninguém determinar que tipo de roupa você deve vestir. A decisão de escolher o que vestir deve ser sempre sua.

6 – Você já foi ou vai a muitos lugares onde não quer ir: fazer concessões faz parte de relacionamentos. Mas em relacionamentos saudáveis costuma haver equilíbrio. Se há a sensação de que praticamente o tempo inteiro você faz programas que não concorda ou não gosta e o contrário nunca acontece, cuidado.

7 – Você está errada em absolutamente todas as discussões ocorridas, mesmo que a princípio quem tenha pisado na bola tenha sido o outro: uma das características de um relacionamento abusivo é que por passar por tantas situações onde a pessoa precisa se deixar de lado e passar por cima de suas vontades, ela vai se tornando cada vez mais insegura, sua autoestima vai sofrendo abalos e por conta disso ela passa a se questionar mais que o normal, como se a opinião do outro devesse valer mais do que a sua sobre tudo. Por esse motivo geralmente o manipulador consegue contornar a situação em discussões mudando o foco da conversa e pondo a culpa por tal situação em você mesma.

8 – Você já foi ameaçada direta ou indiretamente: dizer que se mata caso você termine o relacionamento porque não vive sem você ou que te mata se souber que você o traiu, não deve ser entendido como romântico ou fofo em hipótese alguma, são ameaças, não juras de amor.

9 – Você percebe que o outro não fica feliz quando você conquista algo: amor deve envolver torcida, empatia, parceria. Assim como costumamos ficar felizes por um amigo ou familiar quando o mesmo conquista algo, isso deve acontecer num relacionamento amoroso. Se ele não consegue se alegrar quando você conseguiu algo e ele não, atenção.

10 – Você já se sentiu diminuída por ele, seja por sua aparência, inteligência ou habilidades: há espaço para todos no mundo. Ninguém precisa diminuir ninguém para se sobressair. Viver ao lado de alguém que te critica demais ou te desvaloriza continuamente fará um grande estrago em sua autoestima. Uma coisa é a crítica construtiva, onde o outro quer nos ver progredir, outra coisa é a crítica gratuita, que só serve para nos magoar e nos deixar mais inseguros.

11 – Você já foi obrigada a ter relações sexuais quando não estava com vontade porque o outro deixou claro que isto fazia parte das suas obrigações: ninguém é obrigado a nada. Se você não está a fim, ponto final. Se ele não consegue aceitar um não, existem ótimos profissionais para ajudá-lo a entender que nem sempre as pessoas agirão de acordo com o que ele deseja.

12 – Você se sente manipulada o tempo inteiro: não é normal se sentir num enredo de novela mexicana o tempo inteiro. Relacionamentos devem trazer paz, conforto, alegrias. Se o seu relacionamento te traz angústias, servidão, medo e insegurança a maior parte do tempo, talvez valha a pena pensar um pouco sobre tudo isso.

Se tiver se identificado com o texto mas ainda estiver em dúvida se está realmente vivendo num relacionamento abusivo, pense na pessoa que você era antes de conhecê-lo e na pessoa que você é agora. Você está mais feliz? Você mudou? Se sim, foi para melhor? Se você já ouviu de mais de uma pessoa que fazia parte da sua vida antes deste relacionamento que você mudou e não foi para melhor e que essa relação é uma furada, pense bem. Você pode até considerar que é implicância da sua amiga com o pobre coitado, mas se essa for a opinião de mais de 5 pessoas, corra. Elas muito provavelmente estão certas. E tenho certeza, você merece mais que isso.

Dados: Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM – PR) e Ligue 180.

Imagem: Pinterest

Colunista:

Maria Fernanda Medina Guido
Psicóloga – CRP 06/96825

Psicóloga formada pela Universidade Metodista de Piracicaba em 2006, especializada em Gestão de Pessoas pelo IBMEC, com mais de 10 anos de experiência em Recursos Humanos, atendendo individualmente adultos na abordagem Gestalt Terapia nas mais diversas queixas, desde 2012 em clínica particular e convênios.
Contatos:
http://www.mfernandapsicologa.com.br
(11) 97452-5200
e-mail: contato@mfernandapsicologa.com.br
Facebook.com/psicologamfernanda

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s