9 passos para estabelecer limites de forma eficiente


Por: Ana Rafaela Bispo da Costa 

Um dos temas mais comentados na atualidade sobre a educação das crianças é a dificuldade que muitos pais tem encontrado ao estabelecer limites aos filhos.

Em parte, isso se dá pelas diversas mudanças culturais e de papéis que estamos passando. Porém, os limites são necessários e importantes para o desenvolvimento da criança.

Então não desista, confira aqui 9 passos que podem te auxiliar nessa hora.

1 – Não se perca com o excesso de explicações

É importante que a criança saiba o motivo pelo qual está cumprindo determinada regra, pois além de aprender a respeitar a autoridade, ela entenderá de que forma aquilo que foi estabelecido contribui para o seu próprio bem e para o bem do ambiente em que vive. Mas quando você determina uma regra ou explica uma tarefa, deve exigir a atenção da criança. Se ela não entendeu a explicação, perguntará eventuais dúvidas. Porém, tome cuidado com os porquês em excesso. Explique o motivo essencial que a ação foi estabelecida e faça a criança entender que é preciso cumprir.

2 – Seja firme

Não é ser rude, mas firme. Dê apenas um aviso, se ficar solicitando muitas vezes a mesma coisa, a criança perceberá insegurança de sua parte. Peça apenas uma vez.

Uma curiosidade muito interessante é que apenas 30% de nossa comunicação é verbal, ou seja, através das palavras. Os outros 70% são através de gestos, expressões e tonalidade de voz. Cuidado para não gritar ou exagerar, isso mostra insegurança e descontrole de sua parte.

3 – Cuidado com as recompensas

A maior recompensa que você pode dar ao seu filho é uma boa educação. Portanto, não ofereça prêmios materiais em troca de atividades que ele precisa aprender a desenvolver. Se fizer isso ele não entenderá suas obrigações e só irá realizar mediante gratificação.

Nesse caso o NÃO DAR a recompensa fará com que ele entenda que está desempenhando uma atividade para seu aprendizado e que nem tudo na vida é pago ou recompensado com dinheiro ou coisas materiais.

Ao invés de se concentrar em questões materiais, incentive-o a realizar e o elogie quando fizer algo diferenciado, ou quando conseguir realizar uma tarefa que foi solicitada. O elogio e a presença é um grande incentivo para a criança.

4 – Consenso entre pais

Geralmente ocorre divergência quanto a forma de educar, porém na frente das crianças não é uma boa atitude. Isso porque se você discorda na frente do seu filho ele entende que há uma brecha entre vocês.

Caso não haja consenso entre vocês, conversem em particular. Se a criança percebe a abertura, passa a não respeitar a autoridade.

No caso de pais separados que ficam com os filhos em momentos diferentes, o fato da criança estar cada hora com um deles não os impede de dar uma educação que respeite sempre a postura daquele que não estiver presente.

5 – Estabeleça regras razoáveis

De nada adianta você colocar regras que serão impossíveis de serem cumpridas. No calor do momento pode exagerar na dose e gerar o não cumprimento da regra, abrindo espaço para desobediência e questionamentos.

É importante que mesmo estabelecendo regras simples elas sejam realizadas. Por vezes, ao ser tomado pela raiva ou emoção que a situação causou você faz promessas que não cumprirá, diz que o filho não assistirá TV pelos próximos 30 anos e não percebe que pode apenas ser uma maneira de descarregar a emoção sentida.

Uma semana depois você o libera da regra imposta, pois percebe a dificuldade de cumpri-la e ele vai absorvendo que é somente uma questão de tempo para você voltar atrás em tudo o que diz. Dessa forma você vai perdendo credibilidade.

6 – Corrija o comportamento e não puna a criança

Cuidado ao dizer palavras que punam a criança. Ela levará isso como uma verdade, o que pode interferir em todo seu desenvolvimento. Não é porque ela derrubou um objeto que você, por exemplo, diga que é desastrada. Lembre-se que ela está em desenvolvimento, inclusive desenvolvendo a coordenação motora.

7 – A imposição de limites não exclui o carinho

Estabelecer limites é uma das maiores formas de demonstrar amor, cuidado e carinho. Justamente por esse motivo, deve ser feito com todo o cuidado.

Por vezes você pode, por exemplo, tirar o celular, os desenhos e tudo que seu filho gostar, como forma de corrigir algum comportamento. E nesse momento, sem a disponibilidade das atividades que costuma fazer, ele queira o seu carinho e atenção, então não negue. Pelo contrário, mostre a ele o quanto é vantajoso ter tempo com você.

Encare como algo essencial e importante, e quando estabelecer uma regra não tire do seu filho a oportunidade de se aproximar de você. Nesse momento ele pode se sentir acolhido e até conversarem sobre o que aconteceu de forma tranquila.

8 – Tenha paciência

Qualquer mudança de comportamento demanda tempo. Então tenha paciência tanto com você como com seu filho e procure valorizar as pequenas conquistas e mudanças.

Pode ser que até aqui você deixou de estabelecer regras importantes, então fará isso aos poucos até que você e o pequeno se acostumem com a nova realidade. Por isso, não desista por não perceber resultados imediatos, tenha paciência com você mesmo e com seu pequeno, toda mudança demanda tempo e persistência.

9 – Aja com coerência

Mesmo realizando todos os passos anteriores a criança pode não obedecer. Não exalte sua voz, nem peça outra vez, isso mostra que você está no controle. E quando ela se aproximar solicitando algo relembre calmamente: “Ficaria feliz em atendê-la, assim que você fizer aquilo que foi estabelecido (e ignorado) anteriormente”

Ou seja, não é você que tem que desistir da regra. Então você precisa manter seu foco e não esquecer suas solicitações. Ser coerente também é uma forma de demonstrar firmeza e gera credibilidade.

Assim, percebendo sua firmeza e coerência a criança, cedo ou tarde, acaba executando o que lhe é solicitado. Pois, através de sua atitude percebe que era o melhor a ser feito.

E mesmo com todos esses passos se a situação continuar difícil não deixe de procurar auxílio profissional, afinal estamos aqui para isso.

Imagem capa: Pinterest

Colunista:

Ana Rafaela Bispo da Costa
CRP: 06/95603

Psicóloga pela UMESP
Pós Graduada em Especialização em Informática em Saúde pela UNIFESP
trabalha no auxílio ao desenvolvimento de crianças e adolescentes e suas famílias, 
atuando na região do ABCD.
Contatos:
(11) 982172197
ana_rafaela_24@hotmail.com

Facebook: Tempo de Aprender-se
Site: tempodeaprenderse.wixsite.com/tempodeaprenderse

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Conheça e adquira o E-Book Seu filho não obedece? Saiba como estabelecer limites e regras.

ebook ana rafaela insta.jpg

Compras através do link: E-Book Seu filho não obedece? Saiba como estabelecer limites e regras.”


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Uma consideração sobre “9 passos para estabelecer limites de forma eficiente”

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s