Reflexões sobre o livro: “As 5 Linguagens do Amor” de Gary Chapman


Por: Joscelaine Lima

Por que é que eu dou tanto de mim e não sou reconhecida? Por que há tantas pessoas que não se sentem amadas apesar de todo esforço que o companheiro faz para agradar? Bom, podem existir várias razões e, uma delas pode ser o fato de os dois não falarem a mesma linguagem do amor, provavelmente por não conhecê-las.

Mas o que é “linguagem do amor”? Segundo Gary Chapman, existem cinco principais linguagens do amor, e cada pessoa desenvolve uma ou duas delas mais do que as demais. Exemplificando: imagine que você é brasileiro, não fala nenhuma outra língua e conhece alguém que é japonês, e não fala outra língua, aí você chega à pessoa e faz um elogio, fala que está apaixonado, etc. Esta pessoa não entende nada, e, por mais que tenha simpatizado e até sentido o mesmo por você, não vai saber o que está dizendo e a comunicação será prejudicada, até que consigam falar a mesma língua.

5 linguagens do amor
Capa do livro: As 5 Linguagens do Amor

Assim é a linguagem do amor, você tem uma forma de sentir e expressar amor, e, as outras pessoas têm suas formas de expressar e sentir o amor. Por isto, nas relações, você pode estar fazendo muita coisa para demonstrar amor, mas, a pessoa não sente-se amada e, consequentemente, se decepciona e não demonstra amor por você também.

Antes de falar das linguagens de forma específica é importante dizer que todos nós temos a necessidade de sermos amados. Quando não nos percebemos sendo amados podemos ter muitos comportamentos inadequados na procura por este amor. Esta relação com o afeto, carinho e amor começa na mais tenra idade e, infelizmente, muitos não são amados, acolhidos e ensinados da forma correta, tornando-se emocionalmente atrofiados, não sabendo como dar e receber amor.

As pessoas que tiverem passado por esta dificuldade em suas vidas encontrarão maiores obstáculos para lidar com relacionamentos, mas, é possível superar. Gary provou em seus muitos anos de aconselhamento conjugal que nunca é tarde para aprender a amar e ser amado da forma correta.

E quais são estas linguagens? Então, a primeira é “Palavras de Afirmação” e, como o nome diz, são palavras positivas, um agradecimento, um elogio. Não precisa ser uma linda declaração de amor para fazer bem, para que a pessoa amada sinta-se amada, entretanto, uma criativa declaração de amor fará muito bem, deixará esta pessoa encantada, sentindo-se muito amada e feliz.

A segunda é “Tempo de Qualidade”, está relacionada ao tempo que você dedica-se a pessoa amada, a ouvir, compreender, enfim, ter sua atenção voltada inteiramente à pessoa, sem deixar que distrações atrapalhem este momento. Faz parte aquele tempo de caminhada e conversa juntinhos, de brincadeiras, etc.

A terceira linguagem do amor é “Presentes”. Todos nós gostamos de ganhar presentes, mas, existem aquelas pessoas que se sentem muito amadas quando recebem um. O valor não importa, pois, o que a pessoa que ama ganhar presentes valoriza é o fato de ter sido lembrada, pode ser uma flor colhida no caminho ou no quintal da casa, um cartãozinho feito com carinho, coisas simples, porém sinceras encantam esta pessoa.

Outra forma de perceber e demonstrar amor é por “Atos de Serviço”. Isto mesmo, existem pessoas que sentem-se amadas quando recebem algum ato de serviço ao seu favor e demonstram amor desta forma. Lavar a roupa, limpar o carro, cortar a grama, organizar a casa, cuidar das crianças, fazer um bolo, preparar um café, entre outras atividades podem deixar a pessoa amada muito feliz, com seu “tanque de amor” cheio!

E não poderia faltar a linguagem: “Toque Físico”, que não é somente sexual, todas as formas de toque carinhoso estão envolvidas, fazem a pessoa sentir-se amada, completa, feliz. Um carinho ao passar pela pessoa enquanto fazem as tarefas domésticas, aquele beijo na saída, na chegada, ao deitar e ao levantar, tudo isto faz o outro sentir-se bem, acolhido, amado e valorizado.

Este é um pequeno resumo das Cinco Linguagens do Amor. Já podemos perceber que somos diferentes e podemos compreender muita coisa a partir de um conhecimento melhor sobre o assunto, pois, observamos onde estamos falhando na relação e o que nos faria bem receber da pessoa amada.

Podemos valorizar as demonstrações de amor que esta pessoa já faz, com sua forma de demonstrar amor e, podemos, através do diálogo, expressar como nos sentimos e o que despertaria nossas emoções e nos faria muito feliz se acontecesse, não como uma cobrança, mas, como uma construção para o relacionamento, pois, ao mesmo tempo em que falamos ao outro o que gostaríamos que fizesse para nos sentirmos amados, vamos questionar a ele sobre isto, vamos expressar o quanto o amamos e desejamos que a relação seja agradável.

Neste diálogo muitas emoções e sentimentos poderão surgir, combinações devem ser feitas e colocadas em prática no dia-a-dia, sendo relembradas sempre que for necessário, pois, devemos nos conscientizar de algo: nós somos sim seres diferentes, com construções psíquicas diferenciadas, que devem ser valorizadas e respeitadas, entretanto, quando me proponho a ter uma relação íntima com alguém, eu preciso pensar nesta pessoa e também no que importa para ela, isto não significa esquecer-se de mim e sim, pensar no outro e cultivar a relação.

Então, eu preciso mudar/melhorar alguns hábitos em prol do bem comum, em favor do crescimento da minha relação, para fazer o outro feliz, pois, tudo o que vai volta, se eu plantar amor, é amor que colherei! Coloque em prática as atitudes que a pessoa amada ama e verá seu relacionamento melhorar consideravelmente. Se ambos tiverem maturidade, confiança, vontade e amor não tem como não dar certo!

Se você fizer a sua parte e mesmo assim a relação não melhorar, busque ajuda profissional, talvez existam questões mais graves envolvidas, que precisam ser trabalhadas, talvez o outro realmente não saiba receber amor e nenhuma relação se constrói com investimento de um lado só!

Imagem capa: Pinterest

Colunista:

Joscelaine Lima
CRP: 12/14672

Psicóloga clínica, formada pela Universidade 
do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) em 2015.
Atende em São Miguel do Oeste-SC.
Contatos:
Facebook.com/JoscelainePsicologia
Whatsapp: (49) 992028970

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s