O mercado de trabalho é lugar para mulher?


Por: Monique Lauermann Tassinari Rückert

A mulher foi conquistando seu espaço no mercado de trabalho, inclusive sendo mais prevalente do que homens em alguns cargos e profissões. No entanto, cresceram vendo suas mães e avós sendo donas de casa exemplares e, por isso, pensam que além do trabalho, a casa, os filhos, o marido também devem fazer parte das suas responsabilidades. Conciliar todos esses papéis, não é uma tarefa fácil.

Se pararmos para refletir sobre o histórico da função da mulher na sociedade, possivelmente perceberemos um imenso avanço e muitas conquistas visto que antigamente ela tinha uma função primordial da maternidade e cuidados domésticos, evoluindo para então cargos mais corporativos. Atualmente, ainda que sigamos na luta por igualdade salarial, por menos abusos dentro das empresas, por melhores condições sociais devido às questões de gênero: conseguimos ver a evolução do espaço que as mulheres ocupam.

No entanto, essas mulheres vivenciam novas dúvidas. Muitas relacionadas com sua capacidade e “deveres”, como qual o momento certo da maternidade, do casamento, da conclusão dos estudos. Cada vez mais, os planos pessoais são adiados para que os profissionais possam ser colocados em prática.

Tomar essa decisão não é uma tarefa fácil, pois a sociedade ainda cobra muito esse papel de “mulher polvo”, que precisa ter diversos tentáculos e dar conta de tudo. A família questiona o quanto ela trabalha e quando virão os filhos. Essas questões, por vezes, afastam a mulher do mercado de trabalho e fazem com que recuse algumas propostas de crescimento profissional.

Muitas mulheres tem a crença de que “Se quer algo bem feito, faça vocês mesma”, mas será que é possível dar conta de tudo sozinha? Trabalho, casa, estudos, relacionamentos? Em alguns momentos, precisamos delegar tarefas aos outros para focarmos no que é prioridade ou no que nos deixa mais feliz.

Vamos quebrar o paradigma de que a mulher precisa dar conta de todas essas jornadas sozinha: divida as tarefas em casa entre os filhos e marido, por exemplo, dedique um tempo para seus cuidados pessoais, não desista de seus sonhos profissionais e do que é importante pra você. Se a sua profissão for algo que lhe deixa feliz, então o mercado de trabalho é seu lugar, sim. Não desista de seus objetivos profissionais por angústias e preconceitos.

Imagem capa: Pinterest

Monique Lauermann Tassinari Rückert
CRP 07/24730

Psicóloga Clínica, especializanda em Terapia Cognitivo Comportamental.
Realiza atendimento de crianças, adolescentes e adultos em Porto Alegre/RS.
E atendimentos de orientação online com maiores informações
pelo site http://psicologamonique.com/
Contato:
Monique.tassinari1@gmail.com
 Facebook.com/psicologamonique

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Uma consideração sobre “O mercado de trabalho é lugar para mulher?”

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s