A Ansiedade na Gestação


Por: Brenda. R. C. Araujo

E tudo começa ao saber da grande notícia: estou grávida! E ao saber, são tantas coisas a pensar, sentir, viver e fazer… Afinal, são tantas novidades e transformações! A ansiedade permeia muitos contextos, dentre eles também se encontra na gestação.

Obviamente podemos considerar que frente a tantas mudanças acontecendo e as que estão por vir, torna-se normal estar ansiosa no período da gestação. São tantas as questões internas e externas que nos consomem, como: se serei boa mãe, se terei condições emocionais e/ou financeiras para com meu filho, se era o momento ideal para engravidar… São estas e outras inseguranças que por si, geram a ansiedade naturalmente. Porém, muitas vezes a ansiedade em excesso pode ser prejudicial tanto para a mamãe, como para o bebê a caminho.

Como dito, considera-se orgânica a questão da ansiedade na gestação, tendo alguns sintomas como medo excessivo, algumas preocupações, uma grande tensão com situações que acontecem ou podem vir a acontecer na sua gestação até o momento do parto e isso pode acrescentar alguns sintomas agravantes, como falta de ar, pensamentos negativos, coração acelerado, e outros fatores que podem ser prejudiciais à saúde da mãe e do bebê.

A insegurança da mulher também é um fator importante pois as mudanças em seu corpo podem deixá-la insegura. Este e demais conflitos psicológicos precisam ser acompanhados por um profissional, assim, este auxílio pode proporcionar a resolução dos conflitos internos e consequentemente os externos.

Diante destes momentos de ansiedade constante, é importante procurar sempre manter a calma, trabalhar a respiração, tentar se ocupar de alguma forma, até mesmo através de alguns exercícios físicos leves, o que ajuda na saúde da mamãe e do bebê, boas noites de sono, boa alimentação, assim, estas questões que nos consomem ficam inacessíveis, nos proporcionando alívio e nos permitindo vivenciar cada instante da gestação sem estar com a ansiedade tão elevada. Consideremos que o papel familiar é aqui de suma importância (mesmo sem o excesso da ansiedade), pois, nada como o carinho, dedicação, amor e afeto para com a futura mamãe e seu bebê. Tendo assim, uma boa gestação, parto e pós-parto.

Importante: É fundamental o cuidado de suas emoções também durante a gestação, por isso, converse com um psicólogo durante este período de tantas transformações. > Saiba mais sobre o acompanhamento psicológico na gravidez.

Imagem capa: stocksnap.io

Brenda. R. C. Araujo
CRP: 06/132834 

Psicóloga Graduada na Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE),
Presidente Prudente – São Paulo
Contatos:
Tel.: (18) 99679-1887
E-mail: brendarcam.psicologia@gmail.com
Facebook: Psicóloga Brenda R. C. Araujo

 *Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s