Coluna Ane Caroline Janiro Depressão Pessimismo

Distimia: mau humor ou depressão?

Frequentemente os Distímicos são confundidos com pessoas pessimistas, “emburradas”, negativas.

Por: Psicóloga Ane Caroline Janiro

A Distimia é um tipo de DepressãoFrequentemente os Distímicos são confundidos com pessoas pessimistas, “emburradas”, negativas. É comum considerarmos que essa é a sua personalidade e as rotularmos como mau humoradas.

É claro que, algumas pessoas realmente aprendem a formar uma visão mais pessimista do mundo, dos outros e até sobre si mesmas, mas quando isso se torna um problema? Quando a própria vida e a dos outros ao redor começa a ser prejudicada, os relacionamentos são afetados, não há motivação para a realização de tarefas e planos… a vida simplesmente fica estagnada em meio a reclamações e negativismo. A pessoa sente como se houvesse um “buraco” dentro de si que não consegue preencher com nada e esse grande vazio toma conta de tudo à sua volta. É comum que os pacientes não consigam manter relacionamentos, faltem muito ao trabalho. Agem como se estivessem apenas fazendo o mínimo esforço para sobreviver em suas atividades.

No Brasil, existem 5 a 11 milhões de pessoas que sofrem de Distimia. Ela é diferente da Depressão porque seus sintomas são menos acentuados, o que dificulta o diagnóstico, já que é difícil que a pessoa e os outros ao redor a percebam como deprimida. O problema é que esperar muito tempo para pedir ajuda pode fazer com que os sintomas evoluam, com que a pessoa desenvolva comorbidades (transtornos associados), além, é claro do grande prejuízo social e pessoal. Se você conhece alguém que apresenta essas características, ou se você se sente dessa forma, é importante conversar com um profissional, um psicólogo ou psiquiatra. É possível ver o mundo de outra forma, se sentir bem consigo mesmo e com a vida!

Imagem capa: Pinterest

12009753_1145254608837345_2914420128489159683_n


Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, Fundadora e Administradora do Psicologia Acessível.
CRP: 06/119556

 


*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

4 comentários

  1. Ótima página! Sou estudante de psicologia (2º período) e já aprendi muita coisa aqui. Parabéns a todas as colunistas, acompanharei sempre! Obrigado :D (se quiserem passar no meu blog e dar um apoio, agradeço demais! comecei a postar faz 4 dias) Grande abraço!

    Curtir

  2. Olá.

    O que você me sugere sobre a vivência do luto e sintomas na linha do texto que dá nome a este comunicado, por gentileza? Eu o vivencio há quatro meses, porém, parece que de um mês pra cá é que “a ficha caiu”, entende?

    Aguardo. Eliene.

    Curtir

    1. Olá Eliene, temos algumas postagens no blog com o tema “luto” e talvez possam te ajudar de alguma forma. Segue o link com os textos sobre o tema: https://psicologiaacessivel.net/category/luto/

      Também lembramos que é muito importante que você busque apoio psicológico caso não consiga lidar bem com os sintomas. É possível passar por essa fase de forma mais leve, tudo bem?
      Agradecemos muito pelo contato.

      Abraços!!

      Curtir

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s