Empoderamento feminino, o que é isso?


Por: Mariana Santos

Cada vez mais é comum escutarmos sobre o empoderamento feminino ou até mesmo falarmos sobre ele no nosso dia a dia. Mas você sabe o que significa? Já parou para pensar no impacto deste conceito em seu cotidiano?

Vamos começar falando um pouco sobre o tal empoderamento, o que ele significa? Segundo o dicionário, empoderar significa “conceder ou conseguir poder; obter mais poder; tornar-se ainda mais poderoso.” Paulo Freire foi o primeiro a traduzir o termo para o português e para ele empoderamento é a “capacidade do indivíduo realizar, por si mesmo, as mudanças necessárias para evoluir e se fortalecer”.

Assim, podemos definir o empoderamento feminino como o movimento em que a mulher toma poder para si, buscando se fortalecer e promover ações pela igualdade de gênero. Também podemos considerar o empoderamento como uma maneira da mulher tomar as rédeas da sua vida, tomando as decisões sobre ela e fazendo suas próprias escolhas.

Quando olhamos para a criação da maioria das mulheres, percebemos que muitas vezes o outro (em sua maioria, do gênero masculino), acaba por tomar as decisões referentes à vida delas e assim, por diversas vezes fazem as “escolhas” por elas, de acordo com o que consideram mais adequado. Com essa falta de autonomia sobre as nossas vidas, crescemos e mesmo na vida adulta deixamos que o outro tome as decisões sobre o nosso dinheiro, carreira, vestimentas, entre outros. E assim, nos apagamos enquanto protagonistas da nossa história. Por isso o movimento do empoderamento feminino se torna tão importante para o protagonismo das mulheres, pois ele devolve à mulher o poder sobre as suas decisões, deixando-as livres para que façam suas escolhas.

Ao falarmos de mulheres empoderadas, não estamos falando apenas das mulheres em cargos de liderança ou de mulheres empreendedoras, aqui entra aquela famosa frase “lugar de mulher é onde ela quiser”, ou seja, se é uma escolha da mulher ser dona de casa, médica, engenheira, caminhoneira, eletricista ou psicóloga, isso a torna uma mulher empoderada, pois sua decisão foi baseada em suas escolhas e no que ELA considera que é o melhor para sua realização pessoal.

O empoderamento feminino não é apenas um movimento interno da mulher, é um movimento social, para que este movimento seja realmente efetivo e assim se conquiste a igualdade de gênero, é necessária a contribuição de todas e todos. É necessário que toda a sociedade participe e passe a empoderar a mulher seja na família, faculdade, trabalho, etc. A ONU Mulheres criou uma cartilha com os princípios para o empoderamento das mulheres e para alcançar a igualdade de gênero no Brasil. Segundo a cartilha, os 7 princípios para o empoderamento das mulheres são:

1. A liderança promove a igualdade de gênero: Estabelecer liderança corporativa de alto nível para a igualdade de gênero.

2. Igualdade de oportunidades, inclusão e não-discriminação: Tratar todos os homens e mulheres de forma justa no trabalho – respeitar e apoiar os direitos humanos e a não-discriminação.

3. Saúde, segurança e fim da violência: Garantir a saúde, a segurança e o bem estar de todos os trabalhadores e as trabalhadoras.

4. Educação e formação: Promover a educação, a formação e o desenvolvimento profissional das mulheres.

5. Desenvolvimento empresarial e práticas da cadeia de fornecedores e de marketing: Implementar o desenvolvimento empresarial e as práticas da cadeia de suprimentos e de marketing que empoderem as mulheres.

6. Liderança comunitária e envolvimento: Promover a igualdade através de iniciativas e defesa comunitária.

7. Transparência, medição e relatórios: Mediar e publicar os progressos para alcançar a igualdade de gênero.

Embora seja necessário que toda a sociedade participe e passe a empoderar cada vez mais as mulheres para alcançarmos a igualdade de gênero, muitas mulheres não conseguem assumir o empoderamento. Esta dificuldade muitas vezes está ligada com a baixa autoestima, pois como somos criadas com o outro tomando nossas decisões e muitas vezes não acreditamos que somos capazes, não conseguimos assumir uma postura empoderada. Assim, buscar uma psicóloga ou psicólogo pode auxilia-la a trabalhar sua autoestima e se fortalecer para que assim se torne protagonista da sua própria história.

Fontes:
https://www.dicio.com.br/empoderar/
http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2016/04/cartilha_WEPs_2016.pdf
http://www.mulheresconectadas.com.br/10021-2/

Imagem capa:  Stocksnap.io

Mariana Santos
CRP 06/126116

Psicóloga Clínica, graduada em Psicologia pela UNIP.
Conhecimento avançado em LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais (Derdic/PUC-SP).
Atende na Chácara Santo Antônio – São Paulo/SP 
Contatos: 
Fone: (11) 95490-5944
Email: marianasantos.psico@gmail.com

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

 

2 comentários em “Empoderamento feminino, o que é isso?”

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s