Autoconhecimento Autoestima e Motivação Coluna Ane Caroline Janiro

O quanto de você tem em suas escolhas?

Quando você confia mais em si mesmo, a opinião do outro continua sendo apenas uma opinião e não uma verdade única. E você entende que é possível considerar um ponto de vista alheio sem desconsiderar o seu próprio. 

Por: Psicóloga Ane Caroline Janiro

Já parou pra pensar alguma vez sobre a relação que pode existir entre a sua autoestima e as escolhas que você faz?

O fato é que nossas escolhas vão nos levando a determinados caminhos que nos tornam que somos hoje e quem seremos no futuro. Cada escolha que você faz hoje, por menor que seja, te molda um pouco e reflete em sua vida – às vezes com maior e às vezes com menor intensidade, dependendo da decisão que você tomar.

Muitas dessas escolhas que fazemos todos os dias são influenciadas por diversos fatores externos (pessoas com quem convivemos, pessoas nas quais nos inspiramos, mídia…) e dificilmente tomaremos alguma decisão que não tenha sequer um pouco desses tipos de influências. O grande problema é que quando nos habituamos – às vezes isso começa lá na infância – a pautar nossas escolhas apenas nessas opiniões externas, vamos nos tornando algo muito distante daquilo que realmente somos em nossa essência. Muitas vezes desperdiçamos um grande potencial pelo fato de não nos conhecermos e assim vamos deixando que nossa vida seja levada pelo que esperam de nós e não por aquilo que queremos de verdade – em muitos casos justamente por nem saber o que queremos de verdade. 

E quando a fala do outro te afeta tanto ao ponto de te paralisar então?! É um conflito entre o peso da opinião do outro e a sua própria. É preciso identificar o que te mantém preso a essa responsabilidade de levar mais em consideração aquilo que o outro espera de você do que aquilo que você gostaria (se, por exemplo, de alguma forma você “aprendeu” que quando fizer aquilo que te disseram, irão gostar mais de você; ou então, se você formou uma crença errônea de que tudo o que você decide sozinho não dá certo e por isso precisa sempre de uma opinião “mais segura”).

O raciocínio faz todo sentido: quanto mais você aprende a se conhecer, mais vai aprendendo também a se respeitar, a desfazer conceitos equivocados, a se gostar (ou seja, melhor fica a sua autoestima), o que consequentemente te ajudará a adquirir mais confiança diante de decisões, pois você conhece melhor os seus desejos do presente e do futuro e isso te leva a fazer escolhas que tenham mais a ver com o que você espera de si mesmo – e não com aquilo que os outros esperam ou acreditam.

É muito saudável que nós tenhamos o hábito de pedir opiniões, especialmente das pessoas em quem confiamos, antes de tomar alguma decisão importante. Mas quando você confia mais em si mesmo, a opinião do outro continua sendo apenas uma opinião e não uma verdade única. E você entende que é possível considerar um ponto de vista alheio sem desconsiderar o seu próprio.

Quem você quer se tornar realmente? Isso está alinhado às escolhas que você faz todos os dias?

Imagem capa: Pexels

12009753_1145254608837345_2914420128489159683_n


Sobre a autora:

Ane Caroline Janiro – Psicóloga clínica, Fundadora e Administradora do Psicologia Acessível.
CRP: 06/119556

 


*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

5 comentários

  1. Mas como ter certeza do que de fato queremos quando muitas vezes mesmo o que queremos não parece possível, não é fácil, depende de ajuda, de oportunidades, enfim, às vezes parece que a maré nos impede fazer as escolhas pelo que realmente se quer para o que é possível, ou mais fácil. Ou será que devemos lutar a todo custo pelo que queremos custe o tempo e o esforço que custar?

    Curtir

    1. Olá Andressa, quanto mais você se conhecer e aprender a avaliar o que realmente vale a pena para sua vida de acordo com quem você é (e quem você deseja se tornar) mais fácil ficará aprender a lidar com as suas escolhas. Essa certeza a respeito do que queremos nem sempre é clara mesmo, e tudo bem! E tudo bem mudar de rota também se em determinado momento entender que aquilo não faz mais sentido para você. Lutar pelo que você quer deve levar em consideração também os motivos que te levam a desejar aquilo e trabalhar suas habilidades para pensar em outras possibilidades se entender que aquele não é um caminho válido. Por isso o autoconhecimento é tão importante. Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s