Autoconhecimento Coluna Ana Rafaela Bispo da Costa Saúde Mental e Emoções

Quando devo começar a conhecer meus sentimentos?

Aprendemos desde muito cedo que devemos reprimir nossos sentimentos, “seja forte” “não chore” “é assim mesmo” e acreditamos que este é o melhor caminho.

Por: Ana Rafaela Bispo da Costa

Você já sentiu raiva? Já sentiu vontade de conseguir algo? Já ficou triste sem saber o motivo?

Pois é, esses são sentimentos e emoções que todos nós temos, mas quando a gente não conhece e não acessa essas emoções, elas vem à tona com muita força e fica tudo muito confuso.

Você percebe que tem sentimentos e emoções ali, mas nem sempre sabe de onde vem e para onde vão. O que gerou aquele sentimento. Você fica confuso e acaba reprimindo a sensação.  Mas isso de alguma forma continua te fazendo mal.

Você percebe que simplesmente engolir os sentimentos não faz bem. Mas você tem medo da reação das outras pessoas, tem medo de que amizades sejam desfeitas ou até tem medo de descobrir que o que você sente vai mudar toda a sua visão sobre seus relacionamentos.

E acima de tudo… Você tem medo de se sentir diferente.

Talvez essa sensação seja apenas uma ilusão. Talvez você realmente vá magoar as pessoas. Talvez você seja apenas um sentimental que quer entrar em contato com suas verdades.

A fantasia de viver bem consigo mesmo, de ser coerente com os seus sentimentos, de conseguir falar e fazer o que você pensa e sente, sem se preocupar com os outros. Então, você paralisa.

Você se esconde naquele nó na garganta, na angústia, nas vontades não ditas. Se esconde nas amizades e nos relacionamentos superficiais. Mas continua dizendo a si mesmo que está fazendo o que é certo e que este é o melhor caminho a seguir.

Será que está certo? Não, diz uma voz dentro de você.

E aí o que fazer?

Aprendemos desde muito cedo que devemos reprimir nossos sentimentos, “seja forte” “não chore” “é assim mesmo” e acreditamos que este é o melhor caminho.  Isso começa na infância e adolescência e segue para a vida toda.

Mas estar conectado as suas emoções e sentimentos é usar a inteligência emocional para o bem, é ter a sensação de que sua vida pode ser mais equilibrada.

Mas como adquirir essa inteligência se durante toda a sua vida você foi ensinado a reprimir seus sentimentos?

Basta você querer e buscar auxílio de quem entende do assunto, afinal tudo pode ser aprendido.

Vão dizer que está remando contra a maré? Pode ser que sim… pode ser que não.

Será difícil e incomodo, mas se é uma vida plena, equilibrada e verdadeira que você deseja talvez seja o único caminho. E no final, você vai ver o quanto valeu a pena e quanto tempo perdeu não sendo coerente com o que você sente.

Imagem capa: Pexels

Colunista:

Ana Rafaela Bispo da Costa
CRP: 06/95603

Psicóloga pela UMESP
Pós Graduada em Especialização em Informática em Saúde pela UNIFESP
trabalha no auxílio ao desenvolvimento de crianças e adolescentes e suas famílias, 
atuando na região do ABCD
Contatos:
(11) 982172197
ana_rafaela_24@hotmail.com

anacosta.psicosaude@hotmail.com
Facebook: Infância e Adolescência e os seus desafios na Família

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s