Dicas de Filmes Reflexões

Princesas da Disney e as representações sociais

Será que as futuras mulheres serão como as novas princesas da Disney?

Por: Gesiane Teise de Souza Saves

Por algum tempo nós, mulheres, crescemos ouvindo falar de princesas que precisavam de príncipes encantados para “resgata-las” de torres, bruxas ou madrastas terríveis e assim essas histórias fortaleciam os sonhos de finais felizes.

A Disney por um bom tempo retratou e até criou princesas frágeis como: Cinderela, Branca de Neve, Bela Adormecida, A Pequena Sereia e assim foi reforçando o termo “sexo frágil” dito na nossa sociedade. Atualmente estamos vendo uma modificação nas histórias das princesas da Disney e vamos percebendo que essas mudanças estão diretamente ligadas aos movimentos feministas que lutam pela valorização da mulher seja no campo do trabalho ou na vida social. Hoje as princesas “fortes” da Disney são representadas por: Melinda (Valente), Elsa (Frozen) e Moana, cujo o final feliz não é um casamento, mas a busca pela independência como da Melinda ou a luta por seu povo como Elsa e Moana. Assim podemos idealizar que essas histórias poderão mudar a forma como as futuras gerações de mulheres virão a ser.

Em Psicologia na Teoria das Representações Sociais de Moscovici, em sua obra “A Psicanálise, sua imagem e seu público”, o autor aborda que os símbolos sociais influenciam nossa construção de conhecimento, ou seja, essa inter-relação entre o sujeito e o objeto em contexto individual ou coletivo é responsável para a construção das nossas representações sociais. Nesse caso as representações sociais são as princesas da Disney que passam uma imagem de mulheres fortes que buscam independência, tem opiniões formadas e lutam até o final para conquistar o que desejam, ou seja, essas princesas não são passivas, são mulheres verdadeiras guerreiras quando se trata de defender o que acreditam.

Será que as futuras mulheres serão como as novas princesas da Disney? Corajosas e ativas? Será que essas representações irão reforçar os movimentos feministas? Será que a ascensão da mulher irá criar algum desequilíbrio na igualdade de gênero? Na realidade não é possível prever o futuro de uma criança, pois ela está exposta não apenas as representações sociais da televisão e das mídias sociais, mas, inserida dentro de um contexto sócio-histórico e os principais modelos de representação sociais ainda são os pais, por isso, é muito importante o diálogo para que nossos filhos não fiquem expostos apenas às opiniões de fora, mas possam ter um suporte emocional no contexto familiar onde consigam expressar livremente suas opiniões e questionamentos.

Também compreender que demonstrar fragilidade em algum aspecto da vida não significa que somos menos fortes ou corajosos, mas que somos humanos e assim precisamos ser acolhidos pelo outro em algum momento das nossas vidas.

Imagem capa: Filme: Moana – Um mar de aventuras

Gesiane Teise de Souza Saves 
CRP: 06/136611 

Psicóloga Clínica/Orientação Psicanalítica
Formada pela Fundação Educacional de Fernandópolis
Atende em Fernandópolis/SP
Coordenadora de projetos na ONG Universidade Aberta a Terceira Idade. Conselheira do Conselho Municipal do Idoso – CMI de Fernandópolis. 
Contato:
(17) 99733-7574/Whatzapp (17) 99220-7574
E-mail: gesiane_saves@hotmail.com

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s