Dicas de Filmes Transtornos Alimentares

Dica de Filme: O mínimo para viver

Refletindo sobre a Anorexia e a abordagem no filme

Por: Ane Caroline Janiro

Decidi falar por aqui sobre o filme “O mínimo para viver”, já que recebi muitas mensagens falando dele pelas redes sociais. Acho bacana trazermos o tema para reflexão.

Para quem ainda não assistiu, o filme fala sobre Ellen (Lilly Collins), de 20 anos de idade e que sofre com a Anorexia. E a trama tem dividido algumas opiniões… por um lado, muitas pessoas se envolveram bastante com a história e conseguiram refletir tanto sobre a Anorexia quanto outros transtornos alimentares. Mas por outro lado, muitos afirmam que o filme acabou romantizando em alguns momentos o transtorno e pecando em aspectos como a forma de tratamento alternativa conduzida no caso de Ellen ou a maneira como retratou a doença na própria personagem, já que ela, mesmo com a doença mais agravada, conseguia conduzir sua vida normalmente – o que é questionado por especialistas que assistiram ao filme e ressaltam que nesses casos, dificilmente a pessoa consegue levar uma vida normal, por conta dos próprios sintomas do transtorno e a falta de energia que ele provoca.

Ainda assim, muitas pessoas que assistiram gostaram bastante e acreditam que o filme traz alguns alertas para que pessoas próximas tenham mais atenção aos sinais do desenvolvimento de um transtorno alimentar.

E você, se já assistiu, o que achou? Deixe a sua opinião pra gente conversar sobre o tema!

Para quem ainda não viu, tem no Netflix e também vou deixar o link do trailer aqui:

 

Imagem capa: reprodução do filme “O mínimo para viver”

 

12009753_1145254608837345_2914420128489159683_n

Sobre a autora:
Ane Caroline Janiro
Psicóloga clínica, Fundadora e Administradora do Psicologia Acessível.
É casada, mamãe do Lucas, escreve sobre Psicologia, Maternidade, Família…
Instagram: @carolinejaniro

 


*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s