Coluna Ane Caroline Janiro Psicologia e Crianças

5 atitudes do Método Montessori para praticar com os filhos

Geralmente agimos com as crianças no impulso de fazer com que elas nos obedeçam pelo simples fato de sermos os adultos e elas, as crianças. Mas no Método Montessori a ideia é que a criança possa nos ouvir, compreender e acatar ao que estamos dizendo pela admiração.

Por: Ane Caroline Janiro

Oi pessoal,

Quem acompanha o blog há mais tempo sabe o quanto gosto de falar sobre o Método Montessori (leia mais sobre ele aqui) e hoje quero falar de algo bem interessante com vocês. Muitas pessoas que se interessam pelo método, às vezes ficam um pouco desanimadas por não encontrarem escolas montessorianas em suas cidades. Realmente faz uma falta enorme! Mas é possível aplicar os princípios básicos em casa mesmo e isso já fará uma grande diferença na educação das crianças.

Eu também recomendo muito que vocês leiam e acompanhem o Lar Montessori, lá tem muita informação bacana, inclusive essas dicas de hoje que compartilho com vocês.

É claro que seguir esses princípios não substitui uma educação completa com base no Método Montessori, onde os educadores recebem uma formação bem extensa! Porém, podemos nos inspirar e colocar em prática esses pilares de atitudes com os filhos.

Quando um educador montessoriano está em contato com a criança, ele sempre precisa ter mente essas 5 atitudes-chave:

1) Confiar na criança e não a interromper

Uma das falas mais conhecidas de Maria Montessori diz justamente sobre “não interromper uma criança naquilo que ela acredita que seja capaz de fazer sozinha”, ou seja, se ela acredita que pode, nós podemos fazer isso também – acreditar nela.  Isso também inclui incentivá-la para que ela acredite cada vez mais em suas capacidades e autonomia e, quando for necessário, podemos oferecer o mínimo de ajuda para que ela possa confiar em si mesma e voltar a agir por si.

2) Falar baixo, devagar e olhar nos olhos

Geralmente agimos com as crianças no impulso de fazer com que elas nos obedeçam pelo simples fato de sermos os adultos e elas, as crianças. Mas no Método Montessori a ideia é que a criança possa nos ouvir, compreender e acatar ao que estamos dizendo pela admiração. Ou seja, a criança vai seguir a orientação por vontade e por compreender os motivos, e não por medo, que é o que acontece quando gritamos. E mesmo quando há a necessidade de colocar limites, isso é feito de forma calma, olhando nos olhos, com tom de voz baixo e devagar.

3) Mostrar repetidas vezes (de novo, de novo e de novo…)

Apresentar algo a uma criança repetida vezes (Montessori fala em “incansáveis vezes”) significa dar a ela a oportunidade de se aprofundar em uma experiência e em todas as suas possibilidades, isolando nosso julgamento de que ela simplesmente não gosta de tal atividade ou não é boa em tal tarefa (o que seria rotular a criança). O Lar Montessori nos dá o exemplo de considerarmos que a criança não gosta de cozinhar porque a convidamos por algumas vezes para realizar a tarefa e ela não se interessou, porém, desconsideramos que há muitos fatores que podem ter interferido nessas vezes em que ela teve contato com a experiência, como cansaço, falta de gosto pelo cardápio preparado, entre outros. É preciso darmos a ela a oportunidade de vivenciar a tarefa profundamente.

4) Observar, organizar e agir

Ter um planejamento ao longo do dia e da semana com a criança é muito bacana, mas acima disso, é preciso saber observar do que exatamente aquela criança precisa. E esse planejamento de atividades deve ser flexível e baseado em cada criança, em particular, levando em consideração as suas características e necessidades. É assim que o educador montessoriano faz – o planejamento existe, mas ele não está acima da observação das necessidades, ritmo e individualidade da criança. Isso também desfaz nosso ideal de que a criança deve fazer, receber ou mereça o que nós, adultos, queremos.

5) Corrigir o ambiente, não a criança

Um ambiente preparado é um dos Pilares do Método Montessoriano, isso porque ele tem grande importância sobre o comportamento da criança. Nossas casas, em geral, não costumam ser ambientes preparados para as crianças e sim para os adultos. Como consequência disso, estamos sempre querendo corrigir os comportamentos que consideramos incompatíveis ou perigosos. É preciso pensarmos em adaptar ambientes e modificá-los conforme as necessidades de exploração das crianças para que elas possam se sentir parte desse todo, desse meio em que elas estão inseridas e que, afinal, também é delas. Quando as crianças vivem melhor no ambiente mais adequado para elas, vivem mais felizes e há menor necessidade de disciplinar certos comportamentos, até porque, esses comportamentos serão mudados como consequência da adequação de suas necessidades ao local. Tem mais sobre o Ambiente Preparado aqui, neste link.

E aí, o que você achou dessas dicas? São bem possíveis de serem aplicadas em casa não é?

Vocês gostam desse tema? Podemos falar mais vezes dele por aqui!! Deixem seus comentários e vamos trocar experiências!

Imagem capa: Pexels

Fonte: Lar Montessori

12009753_1145254608837345_2914420128489159683_n


Sobre a autora:
Ane Caroline Janiro
Psicóloga clínica, Fundadora e Administradora do Psicologia Acessível.
É casada, mamãe do Lucas, escreve sobre Psicologia, Maternidade, Família…
Instagram: @carolinejaniro

 


*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).

 

Dica de Livro sobre o Método Montessori (link para a loja na imagem):

montessori

6 comentários

  1. Ana Caroline, seu texto incansável de (re)ler merece o incomensurável destaque e, acima de tudo, ser divulgado para que os professores montessorianos possam compartilhar experiências e vivências com os pais de filhos, porque é importante eles poderem colocar dicas recomendas em práticas para acreditarem indubitavelmente naquilo que as crianças acreditam fazer sozinhas de forma independente. Mas confesso que um traço mais importante mostrado nesse texto que os pais devem ler, se aprofundar e aplicar na casa quanto ao ambiente preparado e adequado para a crianças. Mas impor as crianças se adaptar ao ambiente adequado para os adultos pode causar dificuldades impedidas de elas se desenvolverem social, cognitiva e habilmente cada vez. Por isso, a preocupação dos pais é montar o ambiente didático e adequando onde há os fatores positivos para que as crianças vivam muito bem, saudáveis e felizes.
    Gostei muito de ter seu texto repetível e repetível, mais do que merecedor de sucesso. Parabéns!!!

    Curtir

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s