Arquivo da categoria: Autossabotagem e Procrastinação

Os ganhos secundários podem estar te sabotando


Por: Adriana Cardoso Biem

Você já ouviu falar em ganhos secundários? Esse é um conceito extremamente importante dentro da Psicologia e mais ainda dentro da psicoterapia.

Ganhos secundários são os benefícios que um transtorno, doença ou situação pode oferecer a uma pessoa, fazendo com que ela tenha um desejo inconsciente de continuar na situação em que se encontra. Um exemplo pode ser uma pessoa que está doente, e que pelo motivo da doença, ganha mais atenção das pessoas, mais cuidados, mais carinho, mais privilégios, talvez até uma diminuição das responsabilidades, e tudo isso faz com que essa pessoa queira, ainda que inconscientemente, permanecer doente.

Podemos ter exemplos em relacionamentos também. Uma pessoa que fica presa em uma relação onde há falta de respeito, traição e até mesmo agressões, pode estar querendo ser vista como um mártir, uma pessoa boa que quer ajudar o outro a melhorar. Alguém que precisa ser admirada por alguma coisa. Pode estar querendo ter alguém para colocar a culpa pelo seu sofrimento e não assumir determinadas responsabilidades, além de um certo medo de não ter em quem colocar a culpa pela sua infelicidade a não ser nela mesmo.

Se repararmos, podemos presenciar e nos dar conta de um grande número de pessoas que acabam no dia a dia agindo de uma forma na qual possam obter ganhos secundários.

Vejo muito isso principalmente naquelas pessoas que reclamam muito e repetidas vezes da mesma situação, e por mais que estejam sendo ajudadas a ver as coisas de outra forma, acabam de certa maneira negando ou ignorando essas ajudas para poderem permanecer com a sua já costumeira mania de reclamar. Sempre bom pensar: O que estão ganhando com isso? Mudar algo que estamos acostumados pode dar a sensação errada de que sem aquilo sentiremos medo e vazio.

Os ganhos secundários podem ser muito sutis e de difícil percepção, porque a princípio não conseguimos entender as razões de uma pessoa continuar em determinada situação desagradável, mas quando encontramos alguém preso há muito tempo em algum determinado cenário, é provável que essa pessoa esteja tendo algum tipo de ganho ao ficar estagnado ali.

Eles também são um dos principais motivos da psicoterapia não caminhar do jeito que se espera, pois são benefícios dentro de situações insatisfatórias e acabam fazendo com que a pessoa fique resistente a mudanças com medo de mudar o cenário a qual já está acostumada. Para cada situação negativa que teimamos em manter, é possível que haja algum ganho por trás e assim acabamos muitas vezes nos sabotando.

A famosa “chantagem emocional”, pode muitas vezes estar acompanhada da pessoa que lucra com os ganhos secundários. Fazer o outro se sentir culpado por determinada situação é comum, já que o outro acaba não percebendo o “ganho” e sente-se responsável pela pessoa estar naquela determinada situação.

Normalmente se trata de um processo inconsciente, ou seja, algo que a pessoa faz sem perceber. O que se espera é que quanto mais a pessoa ficar consciente de si mesma e perceber as suas formas de agir, mais melhorias esse despertar, traga para a sua vida, incluindo melhoras físicas e psicológicas.

Você acha que anda mantendo alguma situação difícil em sua vida?

Imagem capa: Pinterest

Colunista:

Adriana Cardoso Biem
CRP 06/80681

Psicóloga Clínica, especialista em Gestalt-Terapia
Formada pela Universidade São Marcos, especialista pelo Instituto Sedes Sapientiae
Atende em Alphaville (Barueri/SP) e Granja Viana (Cotia/SP)
Contatos:
adrianabiem@gmail.com
                   Facebook.com/adrianabiempsicologa
Instagram: @adrianabiempsi

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).