Arquivo da categoria: Medicalização/Patologização

Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade: sintomas da infância contemporânea


Por: Cristiane Dias Salvadori e Renata da Luz

Diante das diversas queixas que se escutam de pais e educadores sobre o comportamento agitado, impulsivo e a dificuldade de estar atento como sintomas apresentados pelas crianças e adolescentes, precisamos refletir sobre a origem deste mal estar que marca a infância contemporânea.

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) pode ser entendido a partir de diferentes paradigmas: o neurobiológico, que considera o orgânico como ponto chave, ou o psicológico, que considera o fator sociocultural e os tempos de constituição psíquica como causadores destes sintomas.

Considerando que as nossas crianças já nascem inseridas em um mundo marcado pela velocidade e pelo imediatismo (cultura do “fast food”), tudo precisa ser muito rápido, gerando uma baixa tolerância à frustração e uma grande dificuldade de fazer escolhas. Frente a tantos estímulos, fica difícil de escolher no que focar a atenção.

Vivem em uma sociedade dos excessos e adepta a tudo aquilo que é estimulante, como drogas e refrigerantes. Até mesmo os brinquedos exigem rapidez: vídeo game, computador. Os desenhos animados são marcados pela agressividade e exigem das crianças mudança de foco atencional rapidamente, pois os estímulos se modificam freneticamente.

As crianças e adolescentes possuem agendas de “mini executivos” e quando estão em grupos, não optam mais pelas brincadeiras que envolvem uma agilidade corporal, como correr na rua, subir em árvores. Preferem jogar individualmente no tablet ou celular.

Que efeito gera essa paralisação corporal e esse excesso de estímulos no desenvolvimento infantil? Como as crianças estão se constituindo psiquicamente, não conseguindo administrar internamente esses excessos? Por isso, as manifestações de agitação corporal (hiperatividade) e a dificuldade para estar atento a um único estímulo precisam ser escutadas para além de um diagnóstico e do uso de uma medicação. Será que os sintomas do TDAH dizem respeito a uma patologia ou trata-se de uma resposta ao modo de vida atual?

Conforme Alícia Fernandez, no seu livro “Atenção Aprisioanada”, precisamos reconhecer que há uma mudança na forma estar atento. Enquanto os adultos conseguem focar sua atenção em um único estímulo, os jovens conseguem estar atentos a várias coisas. Trata-se de maneiras diferentes de prestar atenção, e tal diferença não pode ser pensada apenas como déficit.

É preciso considerar a singularidade e a história de cada criança, de cada jovem, abrindo possibilidades de pensar e elaborar perguntas: quando iniciaram os sintomas? Que atenção que faltou ou está faltando para essa criança? A criança ou adolescente pode mostrar-se desatenta e/ou hiperativa em função de múltiplas ou diferentes situações.

Enquanto pais e profissionais da área da saúde ou educação, precisamos entender as manifestações de agitação, impulsividade e desatenção como uma comunicação e expressão de um sofrimento emocional das nossas crianças e jovens. É um pedido de socorro frente aos excessos a que ficam expostos e submetidos com os quais ainda não conseguem processar e dar um destino através da verbalização dos sentimentos.

Não podemos seguir aquietando os corpos e silenciando as dores psíquicas por meio da medicalização. Precisamos, sim, dar voz ao sofrimento das nossas crianças e jovens.

Imagem: Pinterest

Colunista

Cristiane Dias Salvadori
CRP 07/10857

Psicóloga Clínica e Educacional
Especialista em Neuropsicopedagogia e Educação Especial Inclusiva
Contato:
(51)99914-3842
Email: cris.salvadori@yahoo.com.br

Texto em parceria com: Renata da Luz
Psicopedagoga
(51) 999429460
reluzpp@yahoo.com.br

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).