Arquivo da categoria: Orientação Profissional

Orientação Profissional: Os benefícios além da escolha da profissão


Por: Renata de Souza da Silva Rodrigues

A Orientação Profissional, possui um benefício próprio e esperado que é a escolha consciente da profissão. No processo da orientação é oferecida uma visão realista acerca das profissões que interessam ao orientando (aquele que busca a Orientação Profissional), a exploração das diversas carreiras, a informação acerca do mercado de trabalho, a percepção das opções das áreas de atuação que uma profissão oferece e, por fim, a escolha da carreira que irá seguir.

O momento da escolha ou da mudança de profissão mobiliza um alto nível de ansiedade, angústia e medo, exigindo que o orientador esteja atento a tais questões atuando como facilitador para o alcance dos objetivos profissionais, mas sem esquecer o que está no entorno do orientando, mantendo-o são e sem prejuízo do seu bem-estar. Para isso, deve-se ofertar ao orientando a possibilidade de vivenciar no atendimento situações que o levem aos benefícios que vão além de se escolher a profissão de forma segura, a seguir descrevemos tais benefícios.

Um dos principais benefícios que a Orientação Profissional proporciona é o autoconhecimento. Conhecer bem a si mesmo é um ponto importante, sendo o primeiro passo para uma escolha bem-sucedida em qualquer área. Afinal, a profissão vai além de simplesmente ganhar o salário, é parte de nós, define nosso estilo de vida, nossa rotina, o ambiente do qual faremos parte, ou seja, ao se escolher a profissão se escolhe não só o que se deseja fazer, mas também o que se deseja ser.

A compreensão dos interesses pessoais e profissionais é outro de seus benefícios. É necessário pensar sobre quais são seus interesses, habilidades e motivações, não confundindo com hobby ou vocação, pois ter facilidade com algo ou gostar muito de algo, não significa que se trabalhará bem com aquilo. A vocação é como um dom, a pessoa nasce sabendo fazer bem algo, podendo ser usado ou não na profissão. Já a habilidade é algo que pode ser desenvolvido ao longo da vida e normalmente está presente no ambiente profissional. Geralmente temos que desenvolver uma habilidade que não temos para exercer de forma satisfatória a atividade exigida. A descoberta de habilidades e o estabelecimento de áreas de afinidades são proporcionadas num atendimento de Orientação Profissional.

A definição dos objetivos pessoais e profissionais também é promovida pela Orientação Profissional. É importante definir qual projeto de vida se pretende alcançar a curto, médio e longo prazo. Pensar, por exemplo, no futuro daqui a 5 anos, daqui a 10 anos e daqui a 15 anos (lembrando que estes períodos são variáveis, dependem da pessoa e de seus objetivos). Refletir sobre como você estará profissionalmente e na vida pessoal, o que deseja ter alcançado, é essencial. Ponderar se quer casar, se quer filhos, sobre seus pais e familiares como espera ser a sua relação com eles na vida adulta. As reflexões sobre como seria o ambiente de trabalho ideal, as funções que serão exercidas e o salário que gostaria de receber, devem estar alinhadas ao que se deseja na vida pessoal.

Para se alcançar os objetivos citados, a avaliação da melhor forma de atingi-los é essencial. Neste ponto a Orientação Profissional pode dar o benefício de se traçar um plano de como se chegar a cada um dos objetivos pretendidos. Afinal, as coisas não acontecem da noite para o dia, é preciso saber o caminho para consegui-las. Pensar no investimento que terá que ser feito, não só financeiro, mas também de tempo, o que significa que enquanto você estiver se dedicando ao que quer alcançar outras questões ficarão de lado, como ir às festas, o contato com familiares e amigos, dentre outras coisas. Por isso, é fundamental refletir sobre o quanto o que se quer atingir é importante e sobre qual é a sua prioridade na sua vida.

A flexibilidade é um ponto essencial que é oferecido a quem busca a Orientação Profissional. Tenha em mente que quando pensamos em uma profissão para a vida toda pode ser muito angustiante e então deve saber que a escolha que está fazendo é a melhor que pode ser feita nesse momento da vida. Ter consciência de que existe a possibilidade futura de mudar e desistir do que se escolheu é importante. Isso não significa que se deve abandonar o curso que escolheu na primeira nota baixa, na primeira insatisfação, pois como sabemos, tudo na vida tem seu lado bom e seu lado ruim, então com a profissão funciona da mesma forma. Mas, se o curso realmente não é o que queria, você pode tentar outro ou tentar uma transferência.

Então, se você sente que precisa de algum dos benefícios citados e sente que não consegue alcançar sozinho, busque ajuda. Converse com seus familiares e amigos. Se mesmo assim não conseguir, procure um profissional da área e proporcione para você mesmo os benefícios que este tipo de atendimento pode causar.

Imagem capa: Pinterest

Colunista:

Renata de Souza da Silva Rodrigues
CRP 05/48142

Psicóloga, graduada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro / UERJ.
Atende no Rio de Janeiro oferecendo atendimento clínico e
orientação profissional para adolescentes, jovens e adultos.
Uma das idealizadoras da Fanpage e Projeto Multiplica Psi.
Contatos:
E-mail: renata.rodrigues.psi@gmail.com
Facebook.com/multiplicapsi

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).