Arquivo da categoria: Psicologia e Família

Como lidar com meu filho?


Por: Camila M. Fernandes

Sei que a frase parece bem impactante, mas qual mãe e/ou pai nunca ficou naquela dúvida cruel de como lidar com as características de seus filhos?

Começamos os questionamentos com as frases clássicas como “mas eu eduquei tanto”, “onde será que eu errei”, entre muitas outras.

Muitas vezes é difícil mesmo lidar com o “gênio” forte de criança, ou aquelas situações na qual o pequeno apronta horrores na frente de outras pessoas e você se sente envergonhado por tudo aquilo. Mas às vezes nos preocupamos tanto com alguns comportamentos, que nos esquecemos de que parte deles pode fazer parte da personalidade da criança.

Aí você pode me questionar: “certo, mas se é de personalidade, finjo que não vejo nada e deixo ele fazer tudo?” A resposta é não. O fato de a criança ter uma “personalidade forte” ou responder a todos, não significa que não devemos pontuar, só precisamos ter cuidado com a forma como pontuamos essas questões. Crianças, assim como nós, erram bastante até acertar. Quem até hoje, em sua fase adulta, realmente lida bem com o seu temperamento forte? Se para nós já é difícil, imagina para uma criança?

Também tem o ponto de que, quando temos mais de um filho, tendemos a fazer comparações. “Porque o mais velho era mais quietinho e o mais novo dá um trabalho…” Temos que entender que nem todos são iguais, e isso é bom. Imagina se no mundo só existissem pessoas como você? Aprendemos a lidar com a diferença, e isso nos faz crescer, amadurecer. Com os filhos é a mesma situação. Sei que parece que crescemos aprendendo a fazer comparações o tempo todo, mas cuidado ao fazer isso. Aprender a diferenciar a identidade de cada filho e não comparar, é um melhor caminho para uma boa interação. Fora que, se a criança ouve as comparações, pode crescer frustrada, tentando o tempo todo ser como o irmão ou como outras pessoas, e as tentativas também serão frustradas, pois eles não serão quem querem ser, e sim o que foi imposto a eles.

Mas além dessas características que muitas vezes nos tiram do sério, é preciso que estejamos atentos e vejamos quando esses comportamentos podem passar a prejudicar a vida social, escolar e familiar da criança. Podendo não ser uma simples birra, ou mau comportamento, mas também algum transtorno de aprendizagem, problemas de aprendizagem ou outros transtornos como de ansiedade, TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade). Quando perceber que algumas ações de seus filhos prejudicam praticamente o tempo todo a vida deles, procure ajuda.

Precisamos saber lidar com as características pessoais de nossos filhos, mas também prestar atenção e saber diferenciar quando elas são apenas “artes de criança”, ou se estão se adaptando às situações da vida, ou quando elas começam a trazer grandes prejuízos, isso é sinal de alerta e devemos procurar ajuda.

Colunista:

Camila M. Fernandes 
CRP: 06/109118

Psicóloga Clínica. Formada pela Universidade São Judas Tadeu. 
Aprimoramento Clínico na Abordagem Cognitiva pela Universidade São Judas Tadeu.
Atendimento no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo-SP
Contatos:
E-mail: psico.camilamartins@gmail.com
Facebook.com/psicocamilafernandes

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais!
Cadastre-se também na opção “Seguir Psicologia Acessível”e receba os posts em seu e-mail!


PNG - ONLINE IMAGE EDITOR - Copia.png

Sobre o Psicologia Acessível (saiba mais aqui).