Sobre

“Psicologia Acessível – A Psicologia está em todos os lugares!”

“Psicologia Acessível” é um projeto idealizado pela psicóloga Ane Caroline Janiro (CRP 06/119556) e tem como objetivo tornar as práticas em Psicologia mais próximas ao cotidiano de todas as pessoas, sejam elas profissionais e estudantes da área ou não.

Assim, este projeto busca compartilhar informações e materiais de qualidade para que a Psicologia possa ser vista como parte de um processo essencial para a qualidade de vida, a contribuindo para a promoção de saúde e o bem-estar, priorizando ainda práticas inclusivas e a valorização da Psicologia.

⇒ Cadastre-se na opção “Seguir Psicologia Acessível” na página inicial e receba os posts e as novidades em seu e-mail!

⇒ Conheça e acompanhe nossas redes sociais:

facebook_like_logo_1    Instagram-logo-full-official   twitter1   pinterest_logo

Idealizadora:

12009753_1145254608837345_2914420128489159683_n

Ane Caroline Janiro
CRP: 06/119556

⇒ Psicóloga pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo;
⇒ Equoterapeuta pelo Centro de Equoterapia de Jaguariúna e ANDE-Brasil;
⇒ Atendimento Clínico a adultos, casais e idosos;
⇒ Orientação Psicológica Online pelo site www.carolinejaniro.com.br
⇒ Idealizadora e Editora do Psicologia Acessível;
⇒ Colunista para o Superela e para o Educa2.
⇒ Colaboradora de outros sites e páginas sobre Psicologia nas redes sociais;

Conheça minhas colunas nos sites:

LOGO SUPERELA LOGO EDUCA2

 

“Colocar as ideias de forma escrita talvez seja uma necessidade de quem não consegue mantê-las somente dentro de si. Precisa divagar, expor, compartilhar. Precisa traduzir seu mundo interior em palavras para assim encontrar um sentido no mundo exterior.”
Ane Caroline Janiro

71 comentários

    1. Excelente,esses dias estava refletindo isso,sobre o cansaso excessivo,a falta de tempo para descansar,as pessoas sempre fazendo algo,como se ficar parado para descansar fosse perca de tempo,estava me sentindo um estranho fora do ninho,e esse texto veio me trazer a verdade,e a sabedoria de quem busca e confia em Deus!Descansar é preciso,traz paz interior!

      Curtir

  1. Sou médico e tenho Transtorno Obcessivo Compulsivo.Quando criança percebí algo incompreensível em mim e depois de adulto vim a compreender mas ainda com receio de ser percebido,porém,na Faculdade de Medicina procurava deixar algum vestígio para ao menos dialogar com alguém.Não deu mas agora,escreví um livro sobre aquêle começo na infância,busquei expressar com o clima daquela idade e associei a fatos ocorridos naqueles anos inclusive a tentativa de compreensão associada a fuga de uma perseguição da polícia da Ditadura exercida sobre uma criança,no caso eu.O livro chama-se :”A turma do Asfaltinho(lembranças de uma infância marcada pelo TOC)”.Estou aberto a diálogo.

    Curtir

    1. Muito interessante o seu depoimento Dr Benedito. Tenho um filho que sofre de Toc. Ele tem 18 anos, começou a expressar os primeiros sintomas aos 11, 12 anos e é um grande sofrimento para ele e para nós da família. Já tentamos remédios diferentes, terapia comportamental com diferentes psicólogos e infelizmente não houve resultado até o momento. O senhor conseguiu cura?

      Curtir

      1. O acompanhamento psicológico e acompanhamento psiquiátrico são muito positivos para o tratamento do TOC. Trata-se de um transtorno que não tem cura mas, a pessoa pode ter uma vida feliz e sem muitas intercorrências quando faz o tratamento e consegue reduzir as situações estressantes. É possível viver bem e ter TOC, desde que tenha um conhecimento de si e busque esse equilíbrio.

        Curtir

    1. Olá Katia! Muito obrigada!
      Você pode se cadastrar na opção “Seguir Psicologia Acessível” na coluna à direta do blog. Assim, você passa a receber todas as postagens direto em seu e-mail.
      Abraços!

      Curtir

  2. Meu filho se chama Alan e eu axo que ele tem o TEA.
    Ele tem dificuldade de convivio social.
    Tem dificuldade de assimilar conteúdo didático.
    E só tem interesse em videos e jogos desde pequenininho, é o que distrai e irrita ele profundamente.
    Ele parece não assimilar coisas como ganhar ou perder, fica furioso se não quiserem brincar só do jeito que ele quer e sabe.
    E fica furioso quando a gente tenta explicar as coisas e ele não entende.
    Eu tenho certeza que tem algo errado, mas não sei que tipo de profissional procurar e nem tenho dinheiro pra pagar por um.
    Por favor me ajudem, ou indiquem alguem que possa ajudar.
    Desde já agradeço. Bjs

    Curtir

    1. Olá querida Andreia! Primeiro, muito obrigada por compartilhar sua experiência conosco. É importante realmente você procurar ajuda e orientação de um especialista se você percebe que tem algo errado com seu filho. Mesmo no SUS, existem profissionais que podem atendê-lo e te orientar, encaminhar, etc. Os profissionais mais indicados neste caso são: Neuropediatra, Neurologista, Psiquiatra, Neuropsicólogo e mesmo o próprio Pediatra pode encaminhá-lo para avaliações específicas destes outros profissionais e também para acompanhamento psicológico. No caso da necessidade de acompanhamento psicológico, existem faculdades de Psicologia que oferecem este serviço gratuitamente.
      Espero ter ajudado, qualquer coisa, pode entrar em contato também conosco pelo e-mail: psicologiaacessivel@outlook.com
      Grande abraço!!

      Curtir

  3. olá sou avô de uma criança autista. vivo em Portugal
    agradeço toda a partilha que me possam dar obrigado.

    Curtir

    1. Olá Olinda! Falaremos em breve sobre este tema por aqui, acompanhe as postagens se cadastrando na opção “Seguir Psicologia Acessível” na coluna à direita do blog. Grande abraço e obrigada pela sugestão!!

      Curtir

  4. Excelente trabalho! Amei este curta metragem, muito criativo e esclarecedor. A Terapia Ocupacional tambem pode contribuir muito nestes casos.

    Curtir

  5. Ane Caroline você está de parabéns! Como psicóloga que utiliza a abordagem cognitivo-comportametnal, sempre que necessário, utilizarei o curta por vc publicado, “THE LAST KNIT” / ” O último a tricotar”, para que meus pacientes possam ser conduzidos à reflexão e facilitar o entendimento e busca, para modificação de suas emoções, sua forma de agir.

    Curtir

    1. Olá Zelia! Gosto muito quando recebo este tipo de retorno como o seu!! Meu objetivo com o blog é justamente esse. É bom ver a Psicologia agindo na prática para transformar a vida das pessoas. Obrigada mesmo pela mensagem!
      Continue acompanhando o blog, cadastre o seu e-mail na opção “Seguir Psicologia Acessível” na coluna à direita do blog para receber os conteúdos.
      Grande abraço e sucesso na profissão!

      Curtir

  6. Oi! vc esta de parabéns, pois atitudes assim como a sua ajudam mts pessoas a perceber q existe algo errado e qual profissional devem recorrer… Estou no segundo ano de tratamento e fiquei um tanto preocupada em pensar q os sintomas podem voltar. Grande abraço. Bom trabalho!!

    Curtir

    1. Olá Jane, muito obrigada pelo seu retorno e por acompanhar o blog!!
      Continue seu tratamento com os profissionais adequados, é importantíssimo para a manutenção e evitar que os sintomas retornem.
      Grande abraço!!

      Curtir

  7. Eu como estudante do 4º período de Psicologia, venho expressar minha completa admiração pelo Projeto Psicologia Acessível. Estou amando!!! A cada matéria postada fico mais impressionada ainda pela competência e amor com que se dedicam à Psicologia… Parabéns!!!

    Curtir

    1. Olá Rosilene, tudo bem? Muito obrigada pelo seu recado tão carinhoso! É muito bom saber que o blog tem sido interessante para você, esse é o melhor retorno que podemos ter!!
      Fazemos tudo com muita dedicação e com o objetivo de valorizar a Psicologia e levar conhecimento sobre ela para cada vez mais pessoas!
      Continue sempre nos acompanhando, comentando, interagindo… é um prazer ter você por aqui conosco! Forte abraço! Ane Caroline Janiro.

      Curtir

  8. olá ane, sou estudante de psicologia, acho lindo seu trabalho, estou muito ansiosa, pois não consigo decidir minha abordagem, gostaria de saber sua abordagem clinica usada na terapia? vc se importa em responder, agradeço desde já.

    Curtir

  9. Queria tão somente te cumprimentar pela atitude, hoje cada vez mais difícil, de fazer o bem sem objetivos materiais pessoais. Tua atitude, é altamente altruística e isto é elogiável. O conteúdo de tuas postagens, frequentemente atingem pessoas que necessitam esclarecer de forma mais simples o que sentem,, o que passam em si mesmo ou a alguém que está próximo e necessitando alguma ajuda.
    Acompannho com muito interesse cada postagem tua, inclusive esta bela atitude de nos ajudar a entender os esportes paralímpicos,.
    Parabéns mesmo!

    Ivonir de Mello Cardoso
    Empresário-Novo Hamburgo-RS

    Curtir

    1. Olá Ivonir!! Obrigada pelo imenso carinho e pelas palavras que me incentivam a continuar com este trabalho!! O melhor retorno que posso ter, sem dúvida alguma, é esse! Espero que continue sempre acompanhando e indicando a mais pessoas as informações que aqui compartilho. Estou sempre à disposição para comentários, dúvidas, sugestões, críticas…
      Um grande abraço!! Ane Caroline Janiro.

      Curtir

  10. Achei fantástico o trabalho desenvolvido por vocês parabéns tenho interesse em receber mais informações sobre suas ações.

    Curtir

    1. Olá Marilia, muito obrigado pelo seu comentário! Que bacana que você se interessou pelo nosso trabalho, é prazer receber você por aqui!
      Você pode assinar nossa newsletter e também acompanhar as nossas redes sociais para acompanhar sempre as informações sobre nosso trabalho, nossos conteúdos e novidades.
      Um abraço!!

      Curtir

    1. Olá Ivanir, obrigado pelo contato.
      Você pode acompanhar a nossa categoria de textos sobre Depressão no link a seguir. Poderá encontrá-lo sempre que desejar e conferir os novos textos com o tema em nosso blog, na opção “Temas em Psicologia” >>> “Saúde Mental e Emoções” >>> “Depressão”.
      https://psicologiaacessivel.net/category/depressao/

      Sugerimos que se cadastre também na opção “Seguir Psicologia Acessível” para receber sempre em seu e-mail nossos temas.
      Um abraço!

      Curtir

  11. Opa!!! fantástico o seu trabalho parabéns. Então sou Psicologo também já pensei em um trabalho assim parecido como o seu, por que não ? Psicólogos para todas as classes principalmente os menos favorecidos, por que ! a maior dificuldade de nós psicólogos em expandir a psicologia é esse despreço governamentais que não investem em nosso trabalhos. Deus abençoe.

    Curtir

  12. Que bacana ver pessoas que se preocupam com o bem das pessoas!!

    Gostaria de ver tratamentos para carência estou me sentindo carente sozinha…

    Curtir

Deixe um comentário (seu e-mail não será publicado)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s